Quinta, 19 de Mai de 2022
Follow Us

Nas primeiras décadas pós-coloniais, golpistas quase sempre usavam os mesmos motivos para derrubar governos: corrupção, má gestão e pobreza – problemas que continuam em alta no Continente

Pela quarta vez, a empresa espanhola INDRA volta a gerir o processo eleitoral angolano na sequência de um quase obscuro e polémico concurso público promovido pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE).

Em menos de vinte e quatro horas depois da sua publicação a foto do presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, perante o muro das lamentações em Jerusalém tinha sido partilhada milhares de vezes. A mesma foto geriu milhares de comentários, a maioria delas exprimindo admiração pelo o ACJ.

Um dos sintomas do baixo nível do discurso político de Angola, esta nesta luta para saber “quem iniciou a guerra contra o colono”, pois se assume que quem iniciou a luta teria legitimidade para governar.

Quarta, 02 Fevereiro 2022 12:49

Em defesa de Rafael Marques - Sousa Jamba

No portal Maka Angola o activista Rafael Marques escreveu um ensaio que está a gerar muita discussão. O ensaio que afirma que o presidente João Lourenço falhou redondamente em concretizar as promessas de 2017, está a ser visto como uma espécie de reviravolta na opinião de Rafael Marques, que ultimamente tem sido acusado de estar a cantar do hinário do MPLA.

Em fim de mandato, chega-se à conclusão de que João Lourenço não foi capaz de orientar Angola para o rumo de que o país precisa. O trauma da cleptocracia não foi sanado, a administração pública continua disfuncional, não se fez a revisão constitucional, tudo continua a funcionar à mercê de interesses particulares e velhos hábitos enraizados. A ideia de bem comum permanece uma miragem. E sem isso nunca se chegará ao pleno Estado de Direito.

Sair de cavalo para burro com a idade dele não é normal, mas ele quis assim: Claro que penso nele, como angolano, como ser humano e como pai de filhos e até poderia escrever esta crônica com lágrimas no rosto.

A diplomacia hoje é concretamente sinônimo de poder, é sinônimo de influência, é sinônimo de lobbies, de abertura internacional, de alianças estratégicas, é sinônimo de desenvolvimento econômico, e sendo esta um instrumento da política externa àqueles que o executam devem ser altamente preparados e competentes, caso queiram mostrar resultados a favor do próprio Estado, e por incrível que pareça o MIREX decai a cada dia que passa por falta de programas estratégicos político-diplomáticos e por falta de coordenação organizativo-funcional que envolvem as nossas Embaixadas e Consulados.

Página 7 de 288