Quarta, 05 de Outubro de 2022
Follow Us

Sexta, 19 Agosto 2022 20:18

Eleições: UNITA denuncia alterações de assembleias de voto "previamente mapeadas"

A UNITA, oposição angolana, denunciou hoje que "persistem" as alterações das assembleias de voto previamente mapeadas, sobretudo nas províncias de Luanda e Huíla, e a situação pode levar cidadãos a não votarem nas eleições de 24 de agosto.

A situação foi relatada pelo secretário nacional para os assuntos eleitorais da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), maior partido na oposição, Faustino Mumbika, considerando que as alterações das assembleias terão implicações negativas para os eleitores.

Luanda e Huíla, maiores praças eleitorais do país, são as províncias onde, segundo o político, "persistem situações de alterações" das assembleias de voto, situações que "violam o princípio da inalterabilidade" das assembleias de voto.

“Porque há locais em que previamente foram mapeados e foram afixados os dísticos da CNE [Comissão Nacional Eleitoral] com os respetivos números das assembleias, mas depois este material (dístico) é removido e afixado noutra localidade o que vai complicar a vida dos eleitores”, disse.

“Há algumas situações destas que foram atendidas, após um conjunto de reclamações, mas na Huíla e em Luanda há casos pendentes”, referiu Faustino Mumbika, em conferência de imprensa, em Luanda.

Sobre os delegados de lista, o responsável fez saber que a UNITA necessita de 52.946 delegados de lista para a cobertura de todo o país, mas cadastrou, até 03 de agosto, 52.610 delegados e deste número, salientou, 705 delegados aguardam pelas credenciais.

“Por esta altura 364 delegados ainda estão por credenciar e esperamos que a CNE cumpra o seu papel”, frisou.

Em relação aos delegados de lista no exterior, Mumbika deu conta que o seu partido já supriu as “insuficiências” apontadas pela CNE, referindo que as “dificuldades” residiam sobretudo em alguns delegados da cidade de Cabo, na África do Sul.

“Já demos entrada dos suprimentos nos prazos definidos pela CNE com uma lista de mais de 80 delegados. Em Portugal, Alemanha e Namíbia, por exemplo, já há delegados que estão a ser chamados pelas missões diplomáticas e estão a receber as suas credenciais”, salientou.

O secretário nacional para os assuntos eleitorais da UNITA, uma das oito forças concorrentes às eleições da próxima quarta-feira, queixou-se igualmente de “dificuldades de comunicação” entre os partidos políticos e a CNE.

Um dos pontos centrais, observou, “é o controlo do apuramento” e só tiveram “acesso hoje ao regulamento sobre o funcionamento do Centro de Escrutínio Nacional, que define as modalidades de acesso a este órgão”.

Para as eleições gerais de 24 de agosto concorrem oito forças políticas, nomeadamente sete partidos e uma coligação de partidos, num sufrágio em que estão inscritos 14 milhões de eleitores.

Rate this item
(1 Vote)