Quarta, 17 de Julho de 2024
Follow Us

Domingo, 28 Mai 2023 09:11

Governo rejeita dúvidas em torno das ossadas de José Van-Dúnem e Sita Valles

Angola assinala hoje 46 anos dos acontecimentos do 27 de Maio de 1977, numa altura em que permanecem dúvidas quanto às ossadas de José Van-Dúnem e Sita Valles. O Governo defende que as certidões de óbito das vítimas, entregues às respectivas famílias, são credíveis, alegando que as críticas que visam descredibilizar o processo não têm fundamentos.

Há dois anos, Luanda iniciou com o processo de entrega de certidões de óbito a familiares das vítimas do 27 de Maio de 1977, data associada a uma alegada tentativa de golpe de estado que resultou na morte de milhares de angolanos.

Entretanto, o processo tem sido polémico para os parentes de José Van-Dúnem e Sita Valles, vítimas do 27 de Maio, devido ao exame forense independente ter concluído que as ossadas entregues pelo estado angolano não correspondem com a dos seus familiares.

O Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Marcy Lopes, desvalorizou às críticas que alega não terem fundamentos, garantindo que as certidões de óbito são credíveis e que o processo obedeceu todos os procedimentos técnico-legais.

Tem estado a circular um conjunto de comentários que procuram atacar a credibilidade do processo e dos trabalhos deste da comissão. O Governo angolano adquiriu equipamento necessário que permite o Laboratório da Criminalística de Luanda realizar os exames médicos forenses com elementos próprios, tendo realizado com êxito os trabalhos que culminaram com a identificação das pessoas referidas, homenageadas, e, consequentemente, receberam um funeral condigno a sua dimensão”, clarificou o governante. 

Entretanto, Silva Mateus, presidente da Fundação 27 de Maio, também diz não existir contrariedade sobre o andamento do processo, porque a organização que dirige tem acompanhado todo trabalho desencadeado pela Comissão de Reconciliação em Memórias das Vítimas dos Conflitos Políticos. “Não há qualquer contradição no que já foi dito. Como membro da comissão e parte integrante desta comissão acompanhamos e estamos dentro do assunto e tudo que foi dito nós reiteramos, não há qualquer problema”, assegurou o dirigente associativo.

Este sábado, o cemitério dos Alto das Cruzes, em Luanda, acolheu o acto central de homenagem às vítimas do 27 de Maio de 1977.

A Comissão de Reconciliação em Memórias das Vítimas de Conflitos Políticos (CIVICOP) já fez chegar mais de 2000 mil certidões de óbito a familiares das vítimas de conflitos políticos, incluindo a do 27 de Maio de 1977. RFI

Rate this item
(0 votes)