Quinta, 06 de Outubro de 2022
Follow Us

Sábado, 13 Agosto 2022 16:14

"Eles (oposição) têm medo que os mortos se levantem da campa e vão votar" - João Lourenço

O candidato à Presidência da República pelo MPLA, João Lourenço, voltou este sábado a desvalorizar os receios da oposição, que tem criticado a presença de nomes de cidadãos mortos nos cadernos eleitorais, afirmando que tal não se justifica, porque o exercício deste direito será feito na presença de delegados de listas indicados pelos partidos políticos concorrentes.

O líder do MPLA, afirmou, no comício realizado no Lubango, Huíla, que o voto é feito de "forma presencial", descartando a possibilidade de fraude, num processo onde existem delegados de mesa, representantes de todas as formações políticas e ironizou: "Eles (oposição) têm medo que os mortos se levantem da campa e vão votar, mas estejam descansados, os mortos não vão ressuscitar no dia 24".

João Lourenço apelou, igualmente, à responsabilidade de outros actores envolvidos no processo eleitoral, afirmando que a campanha eleitoral decorre de forma pacífica, dado que até ao momento não há registo de qualquer incidente nem casos relevantes de intolerância política.

"É nossa obrigação fazer tudo o que for possível para continuar nesse ambiente (...) assim é que é a democracia, assim é que se faz o País", declarou.

Na província da Huíla, a terceira praça eleitoral do País, estão registados 1.235.527 eleitores que vão votar em 1. 457 assembleias de votos.Estão autorizados a concorrer às eleições gerais de 24 de Agosto os partidos MPLA, UNITA, PRS, FNLA, APN, PHA e P-NJANGO e a coligação CASA-CE.

Do total de 14,399 milhões de eleitores esperados nas urnas, 22.560 são da diáspora, distribuídos por 25 cidades de 12 países de África, Europa e América. A votação no exterior terá lugar em países como a África do Sul (Pretória, Cidade do Cabo e Joanesburgo), a Namíbia (Windhoek, Oshakati e Rundu) e a República Democrática do Congo (Kinshasa, Lubumbashi e Matadi). Ainda no continente africano, poderão votar os angolanos residentes no Congo (Brazzaville, Dolisie e Ponta Negra) e na Zâmbia (Lusaka, Mongu, Solwezi).

A Comissão Nacional Eleitoral criou 13.238 assembleias de voto, constituídas por 26.443 mesas, no território nacional, enquanto que para a votação dos eleitores inscritos no estrangeiro foram criadas 26 assembleias de voto com 45 mesas de voto. Para este total de mesas de voto foram recrutados 105.952 membros. NJ

Rate this item
(0 votes)