Quarta, 29 de Junho de 2022
Follow Us

Perto de 14 milhões de eleitores angolanos são chamados às urnas, em 24 de Agosto de 2022, para elegerem, simultaneamente, o novo Presidente da República, o Vice-Presidente da República e os novos deputados à Assembleia Nacional.

Apesar de as eleições apenas terem sido marcadas na semana passada, a chamada “canção da fraude” já há muito começou e é o traço comum entre todas as eleições realizadas no país.

Manos vos garanto ela é uma pura angolana filha de pai ambrizetano e mãe malanjina. O resto que se escrever sobre a sua identidade é fantasia e má intenção, e digo mais mentir e manipular identidades seja de quem for não nos garante vitória sobre o MPLA

Quem me acompanha, há uns anos para cá, sabe como relativizo a importância das eleições, como solução mágica do problema angolano, sem que primeiro o poder político seja devolvido ao povo angolano, por um sério compromisso suprapartidário que não aconteceu, desde a nossa  independência nacional.

Das duas, uma: o Ministério da Comunicação Social desconhece a legislação angolana sobre o sector que dirige ou está a agir de má fé em cumprimento de uma agenda, no mínimo, estranha.

Como quem nasceu e cresceu num meio marginal, onde estava proibido de ser honesto: Realmente é impressionante como o tipo apresenta os números de emprego conseguidos, estradas construídas, escolas, hospitais e outros.

Sábado, 28 Mai 2022 11:24

Diplomacia e geopolítica

Os golpes de Estado em África e a fraca actuação da União Africana na resolução dos actos inconstitucionais e anticonstitucionais

O espaço dominical de análise da TV Zimbo, denominado Revista Zimbo, está claramente desvirtuado dos seus propósitos que deveria ser o de ajudar os telespectadores a contextualizarem os factos políticos, e não só, que ocorrem na semana.

Página 2 de 290