Sábado, 16 de Outubro de 2021
Follow Us

Segunda, 23 Agosto 2021 17:29

Era o Miala e mais tarde o Kopelipa os Srs "Ordens Superiores" de mentiras e de verdades

OS DONOS DA SEGURANÇA DE ESTADO E DO PAÍS: Quando em agosto de 1993 fui entrevistada pelo programa Café da Manhã, de José Rodrigues da LAC e falando de corrupção e do corruptos, exemplifiquei com o nome de Fernando Miala, na altura também Major, quase “caiu o Carmo e a Trindade “e no dia seguinte, disseram-me que no noticiário das 00H00, eu teria sido exonerada do cargo.

Mais tarde, por factos bem identificados, como no caso anterior, apercebi-me que os discípulos de Miala, Kopelipa e Dino, teriam aprendido bem a lição e alertei para actos de corrupção e branqueamento de capitais e os mesmos serviços de Segurança tudo fizeram, para me descredibilizar e desacreditar, utilizando os jornalistas Graça Campos e Williams Tonet, para além de anônimos nas redes sociais.  O interessante, é que a maioria que hoje crítica a corrupção por conveniência pessoal e porque nunca fizeram a diferença, que é o único motor para mudar o mundo para melhor, nessa altura juntou-se ao coro.

Após os acordos de Bicesse, o dinheiro que só jorrava para o Ministério da Defesa, começou a jorrar também na Segurança da Presidência da República e a forma alternativa ao OGE para de angariar o dinheiro com facilidade, desde o início e por sugestão da Segurança de Estado, era a SONANGOL e a ENDIAMA. Daí e começaram a sair os primeiros conluios e negociatas, até 1991 menores, porque eram de certa forma mais escrutinados, a ponto de o primeiro Ministro dos Petróleos, Monty, seu Director de Gabinete, Sopas e Fernando Pegado, representante da SONANGOL em Londres terem fugido e ficado exilados quando foram chamados à PGR.

Entretanto, era o Miala e mais tarde Kopelipa, os Srs. “Ordens Superiores “, de mentiras e de verdades. Era o Miala que tinha muitos dólares até nos cofres de casa, (a pontos de a filha distribuir dinheiro as coleguinhas que frequentavam a casa dela), que oferecia casas, carros e dinheiro no exterior, aos seus colaboradores da sua tribo, ou aos mais amigos, sem conhecimento do PR, a quem justificou mais tarde, serem casas de função. Contudo, como a mentira tem pernas curtas, ficou provada a mentira, quando a esposas de um deles se zangou com o marido, colocou a boca no trombone, porque o Ex esposo vendeu a casa e não lhe queria dar a parte que achou que era dela e veio falar comigo.

Várias vezes, um dos filhos de Jonas Savimbi, o Joess e o mais velho Cacumba da UNITA, quiseram falar comigo em Abidjan, na Costa de Marfim e transmitiram-me, que Fernando Miala estava incumbido de dar uma mensalidade a família de Jonas Savimbi no exterior, mas ficava muito tempo sem enviar o tal dinheiro. Todos sabem que antes de Bento Cangamba, era Fernando Miala que distribuía oferecia grandes somas de dinheiro a alguns jornalistas e artistas da nossa praça.

Para que o comportamento dos órgãos de Segurança ficasse imunes a qualquer fiscalização ou auditoria independente, como em tudo, arranjaram uma blindagem legal, incluindo na Lei do OGE anual, um artigo sobre os “Fundos Especiais “que zela para que assim seja. A título de exemplo, na Lei OGE de 2021, a criação dos fundos especiais para os órgãos de segurança, é referida no ponto 1. do artigo 12o. e no seu ponto 3. é referido, que a forma de utilização e prestação de contas deve ser regulamentada pelo PR.

Fica sem sombra de dúvida muito claro, que o PR JLO, que prometeu fazer a diferença, por falta de assessores de qualidade, só está a piorar o que já estava mal e continua a dar tanto ou mais poder do que tem a elementos da Segurança de Estado. Esses, para além de já terem demonstrado a sua ambição desmedida, tem no seu circuito agentes sem escrúpulos ao seu serviço pessoal e por conseguinte, sem ética, deontologia profissional e muito menos, tem um pingo de vergonha, ou de piedade pela população pobre de que são oriundos.

Em Angola, como na maioria dos países, quem forma o Governo é o Partido que ganha as eleições. Porém, estranhamente, no MPLA, a Chefia da Segurança de Estado , quer no tempo de Agostinho Neto , quer no tempo de JES , quer no tempo de JLO , por desconfianças geradas na luta pelo poder , foi entregue a dissidentes do Partido UPA/FNLA , assumida nomeadamente Ludy Kissassunda e Fernando Miala , este último nem tendo efectuado o serviço militar chegou a Major , antes de dar o salto mortal e atingir o Generalato ,  antes do Comandante em Chefe JES , sob proposta do Ministro da Defesa  aceite por aquele. 

O problema é que, os famigerados maiores Partidos angolanos são oriundos da guerrilha e não obstante os líderes que os criaram fossem intelectuais, pelo conhecimento que temos dos mesmos, sabemos que pela sede de poder e pelo facto da maioria deles, dos soldados e da população, (de quem buscavam e buscam o apoio), serem oriundos das classes camponesas e operárias, surgiram muitas divergências, de que resultaram várias fações e inúmeros assassinatos. Por isso, como tenho referido, cedo cheguei à triste conclusão, que a maioria lutou para se apoderar dos bens e do poder dos colonos e não para fundarem países democráticos, prósperos e com identidade própria.

Na verdade, os líderes do MPLA acreditam que os traidores de outros Partidos, de preferência apenas com o ensino elementar, sendo desconhecidos e desconhecendo a maioria da Chefia e dos militantes, para se protegerem, vão hostilizar todos, principalmente os intelectuais, para se manter no posto e vão idolatrar o Chefe Supremo. E assim tem sido, com a colaboração dos seus familiares e amigos, de preferência da mesma etnia ou tribo, que colocam ou propõe a colocação para lugares chave da ideologia, da política e da economia, a iniciar no Partido.

É só analisar quem são algumas das jovens que entraram recentemente no BP do MPLA sem na prática militarem. Uma é filha de um dos últimos Vice-Presidentes da Assembleia da República da FNLA (e por isso preferiram apear a jovem Adjani Ministra do Ambiente e a ela não), outra e’ filha de dois Ex militantes da FNLA na RDC, a Ministra das Finanças, fora as que estudaram em Cuba e não só, com bolsas de estudo dadas pela Segurança, pela mão de Miala, para filhos de dissidentes da FNLA.

No Ministério da Defesa, de onde o PR é oriundo, o escândalo do “garimpo “dos salários foi abafado com a suspensão da aplicação dos descontos do IRT aos militares e paramilitares. O mesmo aconteceu com as acusações ao Comissário Ambrósia de Lemos referentes à Caixa Social da Polícia, etc., etc.,

Já nem vou repetir o papelão que o Executivo faz, ao pedinchar ao FMI e a França empréstimos, que somados são inferiores ao total dos valores roubados pelo Major da Música e por Carlos São Vicente. Imagino quanto será o que tem Manuel Vicente e seus comparsas.

Depois vêm dizer, que o estado não tem dinheiro para melhorar a educação, a saúde e as infraestruturas porque os cofres ficaram vazios? Que vergonha!!!

Por Maria Luísa Abrantes

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up