Domingo, 25 de Fevereiro de 2024
Follow Us

Sexta, 20 Setembro 2013 01:33

Militantes pedem a expulsão de Mfuca Muzemba da UNITA

Written by
Mfuca Muzemba Mfuca Muzemba

Militantes e simpatizantes da UNITA foram esta Quinta-feira 19, em Luanda, unanimes quanto a retirada do então líder do braço juvenil daquela organização politica JURA do Parlamento, bem como a sua expulsão do partido

Suspenso por 2 anos, Mfuca Muzemba, é acusa de violar os estatutos daquela organização política angolana.

Ouvidos no programa “A voz do Cidadão” da Rádio Despertar, Mfuca deve ser expulso do partido UNITA. “Ele traiu a pátria e não deve ficar mais entre nós”, disse um dos ouvintes e simpatizantes da UNITA quando participava do debate promovido por aquela estação.

“Pelo que se disse aqui, nem no parlamento o Mfuca deve ficar. Acho que ele deve abandonar a Assembleia Nacional”, apelou um outro ouvinte, dando conta que um deputado é uma pessoa integra e neste caso, Mfuca Muzemba já não é nem merece a confiação do povo nem  dos militantes e simpatizantes da UNITA.

Para eles, vão aparecer outros Mfucas, jovens promissores e inteligentes como ele ou mesmo superiores para ajudar a levar o partido a bom porto. “Vamos ter outros Mfucas com certeza, portanto, 2 anos de suspensão e depois volta como se nada tivesse feito?”, Questionou um outro simpatizante, defendendo um abaixo-assinado para a expulsão de Mfuca Muzemba do seio dos maninhos.

Recorde-se que a UNITA acusa Mfuca Muzemba de ter sido corrompido pelo Executivo angolano, com 150.000 dólares, para aliciar os jovens do “movimento revolucionário” e convencê-los a não realizarem uma manifestação que estava marcada para o dia 19 de Dezembro de 2012.

As desconfianças contra o antigo secretário-geral da JURA teriam aumentado quando ele, acusa a UNITA, redigiu uma carta dirigida ao governo provincial de Luanda a comunicar que a manifestação convocada tinha sido adiada. “Foi Mfuca Muzemba quem convenceu o jovem Mário Faustino, do “movimento revolucionário”, a assinar a carta, no mesmo dia em que na sua conta bancária foram depositados 150.000 dólares”, sublinhou Jorge Vitorino.

Rádio Despertar