Domingo, 26 de Mai de 2024
Follow Us

Terça, 07 Mai 2024 22:50

Angola: Anos de luta para servir as ordens da USAID?

Quem diria, nos anos da Guerra Civil de Angola, quando combatiam Agostinho Neto, Jonas Savimbi e Holden Roberto, que ela terminaria para colocar Angola sob os ditames da USAID?

Segundo a percepção de muitos angolanos, o presidente João Lourenço é mais visto visitando os EUA do que Angola, em apertos de mãos e abraços com a Senhora Samantha Power, da USAID. Essa organização teve uma influência devastadora no Brasil e na América Latina, seus acordos com o MEC do Brasil destruíram a cultura local, o sentimento e a identidade nacional dos brasileiros, hoje quase restrita a manifestações cosméticas. Em conjunto com a sua “ajuda econômica”, os americanos treinaram cerca de 125.000 militares da América Latina e Caribe entre 1950 e 1998 para matar, torturar e sufocar a democracia que florescia na América Latina, em países como o Brasil, o Chile e a Argentina. Foram os acordos com a USAID, a Escola das Américas e outros figurões de Washington que geraram uma geração inteira de ditadores na América Latina.

Recentemente, numa manifestação em Lisboa, João Lourenço conseguiu o que seus antecessores do MPLA não conseguiram, ser chamado de “ditador” durante sua visita às terras lusas. No interior do país surgem denúncias de ataques a caravanas pacíficas. Quanto mais Angola se aproxima da América anglo-saxônica, mais aumentam os problemas internos.

A influência devastadora da USAID já foi objeto de diversos artigos científicos no Brasil, país que muito sofreu com a interferência dos americanos em seus assuntos internos, como abordado por professores como Alex Ricardo Miranda e Rodrigo Patto Sá Motta. Os acadêmicos brasileiros nos trazem detalhes sobre os danos que a USAID causou à polícia do Brasil, ao seu sistema educacional e à sua política externa, colocando o país latino-americano nos trilhos dos anglo-saxões durante a Guerra Fria. Esses mesmos rapaces que enviaram à África do Sul mercenários conheceram sua derrota após a união do povo angolano e o povo cubano, que a Angola enviou seus melhores voluntários.

Hoje a China, a Rússia, o Brasil, os BRICS+, estendem a mão a Angola e propõem projetos de investimento e parceria em condições de igualdade. O que será que o PR João Lourenço perdeu nos Estados Unidos?

Alexandre de Morais Filho

Rate this item
(1 Vote)