Segunda, 25 de Janeiro de 2021
Follow Us

Sábado, 09 Janeiro 2021 01:00

O Mirex em 2020: Balanço Geral - Um grande fracasso

Reflectindo de forma político-diplomática, de forma lógico-racional, em base aos dados que tenho e em base as investigações que fiz durante o ano precedente sobre a Diplomacia angolana, cheguei a conclusão que o MIREX em 2020 foi o Ministério mais desorganizado e mais fracassado de Angola.

Sobre isso poderíamos abrir um grande debate, porque há quem diz que foi o Ministério das Finanças (tendo em conta a grande inflação e a escassez do dólar no mercado angolano), outros são de opinião de que foi o Ministério da Energia e Água que mais funcionou mal em 2020, outros dizem que foi o Ministério da Educação, outros ainda afirmam que foi o Ministério da Saúde e o Ministério do Trabalho, mas Eu enquanto Diplomata (tecnocrata) sério, qualificado, altamente formado e competente, não tenho dúvidas de que o MIREX em 2020 foi de mal a pior, um grande fracasso, um fracasso total.

Cada ano que passa a debilidade organizativa no MIREX é 7 vezes maior, as nossas embaixadas e consulados tornaram-se estruturas quase sem efeito no sentido que, é difícil encontrar gente séria ou diplomatas que realmente façam o seu trabalho com eficácia e eficiência, não há projectos, a maior parte dos nossos embaixadores e cônsules gerais são impreparados, muitos deles estão a cima dos 60 anos. É hora de apostar nos jovens, a população angolana na sua maioria estão a baixo dos 20 anos de idade, sendo assim, convém também (em grande parte) que sejam os jovens a liderarem e a dirigirem as nossas embaixadas e consulados, jovens qualificados e completamente competentes.

O MIREX em 2020 não deu início à reformas concretas, sai Ministro entra Ministro e a história é a mesma, os diplomatas a cima da idade não foram jubilados, desrespeitando mais uma vez o artigo 33.° do Decreto Presidencial n.° 209/11, de 3 de Agosto de 2011, que determina para os diplomatas idade limite de idade 60 anos. As sobrefacturações dentro das nossas Missões diplomáticas não páram, pelo contrário, o roubo é duas vezes maior, os nossos diplomatas não querem viver nas casas protocolares compradas pelo Estado angolano, preferem viver nas residências alugadas de modo a poderem fazer roubos-sobrefacturações.

Por outra o projecto de inserir quadros angolanos nas organizações internacionais há anos que se tornou uma canção, na prática não se faz nada, enquanto isso o nosso Estado contribui financeiramente (anualmente) mais de 101.700.000,00 à 162 organizações internacionais e outros organismos na qual gastamos anualmente 74.880.000,00 USD, mas nestas mesmas organizações somos poucos representados, não há vontade Político-diplomática. Tudo isso leva-me a concluir que não temos homens sérios nas cadeiras de comando do MIREX. Diplomacia é pra homens sérios e pragmáticos, é pra tecnocratas.

Em 2020 assim como nos anos precedentes o MIREX mostrou-se não ser uma instituição verdadeiramente diplomática, está mais pra uma instituição de aposentadoria e acomodação de generais, ex governantes e políticos em fim de carreiras, porque grandes projectos e reformas político-diplomáticas o MIREX não tem capacidades de fazê-los, não vejo diplomatas angolanos com grande criatividade e tecnocracia no campo diplomático e consular, porque tudo é feito à base do nepotismo e da conveniência.

Estou muito longe diplomaticamente, e fico cada vez mais decepcionado ao ver que o fracasso do MIREX é maior dia a pós dia, sinceramente é fracasso atrás de fracasso, pra não falar do mau atendimento nas nossas estruturas diplomáticas, e bem a pouco tempo nesta Quinta-Fera dia 7, dentro do próprio MIREX houve escândalos entre funcionários e cidadãos, por causa da falta de profissionalismo e de relações públicas. A arrogância dentro do MOREX e das Embaixadas continua, a falta de formação superior e universitária é ainda muito preocupante entre os nossos diplomatas, os nossos diplomatas não gostam de ler, e vários amigos meus do MIREX dizem sempre para Eu escrever pouco… Triste demais!

Que este ano de 2021 seja o ano em que o MIREX comece a pensar seriamente no futuro da diplomacia angolana, fazendo reformas pontuais e sérias, promovendo jovens dinâmicos e competentes e que o Ministério das Finanças controle todos os gastos e pagamentos do MIREX, e que haja directores e líderes jovens nos departamentos do MIREX.

Eu e a Diplomacia a Diplomacia e Eu

O.B.S: Em 2020 sugeri inúmeras estratégias e propostas político-diplomáticas mas como ninguém ouve este ano passarei simplesmente a apontar os erros do MIREX. Este ano serei muito mais incisivo, tenho documentos, informações, dados e fontes. O País precisa crescer diplomaticamente!

Por Leonardo Quarenta -  Diplomata & Jurista

Doutorando em Direito Constitucional e Internacional

Mestrado em Relações Internacionais e Diplomacia

Master em Direitos Humanos e Competências Internacionais

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up