Sábado, 26 de Novembro de 2022
Follow Us

Quarta, 28 Agosto 2019 12:34

Aleluia, aleluia, aleluia, hoje é 28 de agosto, o dia do pai da nação angolana

Há sempre um espírito dos tempos. Mesmo na antiguidade, impulsos dotados de força e poder, com características semelhantes, promoveram as elites em sociedades separadas por abismos ainda não transportados. Talvez, a explicação de tal facto, é metafísico, e longe da nossa amplitude de consciência.

 José Eduardo dos Santos demonstra o espírito do nosso tempo, a alma de uma nação que moveu – se para pátria, desde logo, José Eduardo dos Santos, nasce numa era tenebrosa da história, e cumpre uma missão única para o seu tempo, que também é da pátria, tornando – se num verdadeiro patriota para Angola. José Eduardo dos Santos, — combinando rectidão absoluta com valores morais, atravessa a história, com um ar de patriotismo qualificado apenas pelo senso de dever cumprido. Como parafraseou um general japonês, na época de luta entre Japão e EUA no âmbito da segunda guerra mundial “Eu sirvo à pátria, mas à Deus primeiro.” De 1979 à 2016, Angola tinha um grande líder, que personificava tudo, o que de facto, um líder deveria ser, e que articulava a mensagem para o mundo e para a posteridade. José Eduardo dos Santos, foi comprovadamente o maior estadista de África. O destino de José Eduardo dos Santos foi apenas chegar ao poder no momento certo, sendo auxiliado pela vontade de Deus para tal facto. No entanto, consideramos um preço inevitável a pagar pelo dia 28 de Agosto, que tanto ecoou para a nação angolana, como um mistério com faculdades de fazer florescer um patriota, dada a amplitude de sua vida e sua obra, numa retrospectiva histórico – filosófica dos tempos que este homem dirigiu os destinos da pátria.

O 28 de Agosto de 1942 focalizou uma espaço - nave de visão futurista, tendo por pano de fundo um cenário, onde se vêem galáxias distantes cujo âmbito, são proezas fantásticas de cunho imensurável e de valor patriótico para Angola. Esse dia marca o início de cada uma das etapas heróicas do homem da pátria. O 28 de Agosto prova que há um deslocamento da nação para pátria, efectuado somente com o nascimento do homem da pátria, que dos escombros fez nascer uma outra Angola.

A sobrecarga das nossas emoções explodem em rios de alegria ao verem nascer mais um aniversário do Patriota José Eduardo dos Santos, como diria William Shakespeare “Eu aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém. Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência para que a vida faça o resto. Eu aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e jamais conseguirei convencê-las. Eu aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos.”

Recitando Rose Lane, escritora e jornalista norte-americana, “A felicidade é algo que entra em nossa vida através de portas que nem lembrávamos ter deixado abertas”, assim o 28 de Agosto já não é enaltecido pelos homens que muito puderam colher do calor das asas do Patriota, muitos dos quais hoje se refugiam no medo, e saltam como lebre porque têm pejo de falar sobre o Patriota,  como recorda Luís de Camões “quando os tempos mudam, as vontades também mudam”, — o mundo é completamente materialista, e hoje José Eduardo dos Santos, já não é o Presidente da República.

Nossa felicidade, nossas emoções, nossa alegria, são o combustível que faz percorrer esse grande dia o coração do mundo inteiro, levando a mensagem com o teor da técnica que já inventou a sua caminhada, chegando até aos confins deste mundo. Aleluia, aleluia, aleluia, hoje é o dia 28 de Agosto, o dia mais importante para Pátria angolana, correspondendo ao nascimento do Patriota, o homem enviado de Deus que veio para dar por resolvidos os anseios da Pátria e de seus filhos, hoje enaltece o seu génio, que corresponde a sua vinda na face da terra, o dia 28 de Agosto, é para nós angolanos, o dia mais importante da história da nação angolana, porque já sobrepôs a independência nacional, foi este dia que trouxe – nos inúmeras datas patrióticas de que o 11 de Novembro não acudirá, como apelava Thomas Bulfinch afirma: “Os romanos acreditavam que cada homem tinha seu Gênio e cada mulher sua Juno, isto é, um espírito que lhe dera vida e que era  seu protector,  durante toda a vida. No dia do seu aniversário, os homens faziam oferendas a seu Génio, e as mulheres à sua Juno.”

Assim, eis as datas que nasceram graças ao dia 28 de Agosto:

23 de Março “Dia da Libertação de África Austral”;

5 de Maio “Dia da Paz”;

Faltaram – nos o Dia da Unidade e Reconciliação Nacional, que todos nós sabemos que é o dia que permitiu o leão e o veado pastarem juntos, é o dia que permitiu a unidade de todos os angolanos, de natureza partidária, de natureza religiosa, de natureza social diversa, etc… Há quem não saiba que o 28 de Agosto seja a mais importante data para a vida dos angolanos, porque foi essa data que ofereceu para o povo angolano variadas datas patrióticas que engrandeceram a alma da pátria, seria pois, como diz Sócrates “Não penses mal dos que procedem mal; pensa somente que estão equivocados.“

Caem de nossos corações chuvas de alegria, o regozijo por essa data de aniversário, que concerne o dia do maior Patriota da história de Angola, leva – nos ao rubro, seria como salienta Aristóteles “A felicidade não se encontra nos bens exteriores, encontra – se na alma convicta que acredita naquilo que muitos não crêem.” No entanto, nossa liberdade em enaltecer o 28 de Agosto, continua em pé, aplaudindo esse grande homem da Pátria, que deu o peito às quando a desintegração causada pelo Apartheid era inegável, se nossa liberdade desaparecer, estaremos sem pátria, seria como diz Chateaubrind “Depois da liberdade desaparecer,resta um País, mas já não há Pátria.” José Eduardo dos Santos revela o homem mais importante de nossas vidas, porque foi dele que nasceu a liberdade da Pátria, é dele que é legado o título de um bom Patriota, parafraseando Hungulo “Só há um caminho para Pátria, feito pelo Patriota e sua história. Não nos preocupemos com coisas que ultrapassam o poder da nossa vontade.”

Hoje o mundo parecê – nos como se estivesse pintado das cores mais fascinantes da natureza, por corresponder o dia de nascimento de um nacionalista, de um herói, que entregou – se a sério para a resolução do mar de problemas que sufocavam a nação angolana, como acrescenta Confúcio “A melhor maneira de ser feliz é contribuir para a felicidade dos outros”, e foi o que José Eduardo dos Santos terá realizado ao longo de sua trajectória, contribuir para a felicidade do povo angolano.

Cremos, fundamentalmente que, a influência directa da sua vida sobre o nosso percurso emanou uma Angola livre de todas as formas de opressão, José Eduardo dos Santos, é e será para sempre o Pai de Nossa Pátria, o Pai da Angola Moderna, concebeu ele desde jovem variadas missões patrióticas que, será pois parafraseando Hungulo “Nossa memória, nossa história não é cega, e jamais se esquecerá em gravar os seus feitos nos anais da história, pois sua lutar são também nossa, sua causa é também nossa causa.”

Viva, viva, viva o 28 de Agosto que aterrou hoje em nossas vida para regar de alegria o coração dos angolanos, muitos dos quais algemados pela tristeza, porém, sabe o 28 de Agosto que sua missão é saciar a memória dos tempos em que José Eduardo dos Santos deu rumo e sentido à história.

Vossa Excelência Senhor Eng. José Eduardo dos Santos, através da escrita apresentamos um acto de sublimação, face a incapacidade da acção e até da palavra. Esse dia expõe na orla pública a grandeza desse homem, que veio ao mundo para salvar o povo angolano, o seu dia desafia à todos nós, e a qualquer um dia de natureza nacional, mas, se o preconceito de muitos políticos angolanos cuidar de sua negligência com relação as valências inéditas deste dia, é porque o mundo obscuro não se pode encontrar nunca com a luz privando à muitos as faculdades de distinguir o útil e o agradável, porque as trevas nunca, e jamais terão liberdade de iluminar a razão do homem. A felicidade é a única marca que nos permite enaltecer esse dia, que desfila os palcos da alegria do povo angolano, como diz Humberto Rohden “Ser feliz é estar em perfeita harmonia com a constituição do Universo. A felicidade é a suprema auto-realização do ser.”

Longe de ser uma flor na botoeira, meramente decorativa enquanto José Eduardo dos Santos existir, o 28 de Agosto estará a florescer e quiçá ganhará um impacto de dimensão nacional para o futuro, fazendo – se num feriado nacional. Vivamos o 28 de Agosto como se este fosse, o último dia das nossas vidas na face da terra, e tornemos - lo inesquecível para a nação angolana.

Inédito dia, de consistência única, não sabemos tactear na face da terra um dia que esteja em sublimação face ao dia do Patriota, parabéns camarada ex – Presidente da República de Angola por atravessar mais um ano de vida desde que viu – se entrar pela primeira vez no mundo em 1942. A maldição é aquela que tem ódio por não aceitar dignificar o seu grande dia, nem sequer consegue expressar a dimensão ontológica e social que esse dia dá à nação angolana, esse dia devolveu a dignidade que viu – se perdida na lástima pertinente do povo angolano, honra e glória ao 28 de Agosto, o dia do Pai da Nação Angolana.

José Eduardo dos Santos para além de ser um Patriota, é um líder humilde, que reconheceu os seus erros, após anos e anos em frente dos destinos da nação angolana, seria como frisa Ivan Teorilang “A glória em sua mais simples versão, percebe-se naquele que, usando de humildade, consegue reconhecer e reparar seus próprios erros, pois ela não reside no fato de nunca ter errado, mas de levantar-se frente o equívoco e continuar acreditando sempre, após cada adversidade.”

O dia do Pai da Nação, o Pai da paz, da Reconciliação Nacional, quero contar aos meus filhos que o Dr António Agostinho Neto é o fundador da Nação angolana, e o Engenheiro José Eduardo dos Santos é o Pai da Nação, da Reconciliação Nacional, o Pai da paz, o arquitecto de uma Angola única e unida, o defensor da integridade territorial, como disse Aristóteles “A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê – las.”

Parabéns excelentíssimo senhor engenheiro José Eduardo dos Santos por mais um ano de vida!

Por João Henrique Rodilson Hungulo

Rate this item
(5 votes)