Domingo, 25 de Setembro de 2022
Follow Us

Terça, 12 Julho 2022 17:21

Tchizé apela ao enterro de Agostinho Neto no lugar de JES após Maria Eugênia pedir bom senso

A antiga primeira-dama da República de Angola, Maria Eugénia Neto, ao reagir nesta segunda-feira, 11 de julho, ao braço-de-ferro entre o Governo e as filhas do antigo Presidente da República José Eduardo dos Santos, de como elas negam que o corpo venha para a Angola, apelou, entre outros o bom senso entre as partes.

Em resposta aos pronunciamentos, esta terça-feira, 12, Tchizé dos Santos, estranha que Maria Eugènia Neto que ainda nem enterrou o Presidente António Agostinho Neto já está a querer ir ao enterro do seu pai.

"Não será melhor decidir sobre enterrar ou não o Presidente Neto para ajudar a campanha do candidato JLO que em 2018 deixou o seu genro São Vicente transferir 800 milhões de euros para a Suíça, durante o seu mandato?", questionou Tchizé.

Também, desejou saber se será para libertar o seu genro da justiça selectiva dos "tribunais do MPLA" que decidiu ajudar o PR João Lourenço nesta cruzada de perseguição de um cadáver que tanto fez pela família de Neto.

Na sua opinião, Maria Eugênia Neto pode ajudar o Presidente Joao Lourenço a não desperdiçar o dinheiro que já gastou indevidamente nestas exéquias fúnebres ilegais (por não terem o consentimento da familia de JES) e entregar o corpo do seu respeitado esposo, PR Neto no lugar de JES que só morreu há 4 dias, enquanto Neto está embalsamado há 43 anos, sem enterro desde 1979.

Tchizé dos Santos, defende ainda que seja Neto enterrado, se preciso for, pois está embalsamado com todos os gastos públicos que a isto foram inerentes e pagos na sua maioria pelo governo de JES que hoje todos (regime), por ingratidão anseiam enterrar de forma humilhante em Luanda.

Salientar que, a viúva de Agostinho Neto, enquanto apelava ao bom senso das filhas do ex-Presidente JES para liberarem o corpo, disse que talvez seja o momento em que as mesmas estão a sentir pela morte do pai e que a qualquer instante haja consenso e liberem o corpo para vir a Angola.

"Acho que sim, acho que o corpo vai vir, vai-se chegar a um consenso, não sei por que a Tchizé estava assim, isso é questão de sentir a morte do pai ficou perturbada, ela tem assim o seu feitio um bocadinho de arisco, portanto, a gente não sabe as razões dela também, psicologicamente se ela está bem ou não está, acho que vai vir, no final vamos chegar a um consenso e ver realmente que o pai deve ficar aqui, porque elas também vão poder vir", considerou Maria Eugênia Neto.

Na mesma ocasião, Maria Eugênia Neto disse que era necessário esperar e ver as negociações, desejando que tudo pudesse correr bem, embora não saiba quais são as razões das filhas, ou da simplesmente da Tchizé dos Santos "uma das filhas que acusa João Lourenço de ser autor moral da morte do pai".

"Não sei se é alucinação o que está a dizer, se tem algo que a leve a proceder assim ou se tem algo que a perturbou, mas acho que ele deve repousar em paz aqui, na sua pátria", disse durante a cerimónia de condolências com lugar no Memorial António Agostinho Neto, em Luanda.

Rate this item
(1 Vote)
Last modified on Terça, 12 Julho 2022 17:34