Sexta, 21 de Junho de 2024
Follow Us
Destaques

Destaques (186)

Os juízes conselheiros do Tribunal Supremo (TS) estiveram reunidos esta quinta-feira, 02, à luz de um dos estatutos orgânicos da instituição, para analisar a situação das várias denúncias e acusações contra o presidente do TS, Joel Leonardo, que têm sido recorrentes nos últimos tempos nas redes socias e em diversos órgãos de comunicação.

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, anunciou hoje que aceitou o pedido de renúncia de Exalgina Gambôa do cargo de presidente do Tribunal de Contas, após ter sido constituída arguida por extorsão, peculato e corrupção.

O Tribunal da Relação de Luanda ordenou a libertação do líder do Movimento do Protetorado Português Lunda Tchokwe (MPPLT), José Mateus 'Zeca Mutchima', detido há um ano, disse à Lusa o seu advogado.

O Tribunal de Contas é ou não a agência de viagens gratuita para os filhos de quem o dirige?

No passado dia 1 de fevereiro de 2023, Sua Excelência Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, convocou o Venerando Presidente do Tribunal Supremo Joel Leonardo, por volta das 14 horas na cidade alta, aonde apresentou o seu total desagrado com o descrédito do sector judicial, em particular o que dirige, apresentou as provas que detinha e procurou ouvir as justificações do Joel Leonardo.

Os bispos católicos angolanos disseram hoje que cresce no país a “cultura da intimidação, geradora do medo e da insubordinação”, e consideraram que as últimas eleições ajudaram a perceber a “necessidade urgente” de se investir em instituições republicanas.

O grupo parlamentar da UNITA, principal partido da oposição angolana, exigiu hoje a demissão do presidente do Tribunal Supremo, alvo nos últimos tempos de várias denúncias de suposta má gestão e corrupção.

Adalberto Costa Júnior, presidente da UNITA, afirmou que Angola vive em ditadura e que optou por não pedir um levantamento da população a seguir às eleições para evitar um banho de sangue. 

A acção deletéria do general Furtado na Casa de Segurança do Presidente da República culminou, agora no Brasil, com um episódio que cobre de vergonha todos os angolanos.

O deputado e dirigente do Bloco Democrático Justino Pinto de Andrade considerou hoje em Lisboa que as eleições em Angola não foram justas nem transparentes, criticando manipulações da Comissão Nacional de Eleições e do Tribunal Constitucional.

Página 7 de 14