Domingo, 19 de Setembro de 2021
Follow Us

Segunda, 13 Setembro 2021 13:48

António Venâncio defende punição de directores por colocar vida de jornalistas em perigo

O Engenheiro António Venáncio, defendeu que, se uma estação televisiva impõe um boicote de 2 anos ao lider de um dado partido, se distorce, com claro propósito de o prejudicar, se participa no assassinato de carácter deste mesmo líder e se as mensagens deste partido não passam nesta televisão, no dia em que este partido sai à rua para protestar contra a discriminação que sofre, exigindo mais lisura e mais transparência, não é prudente enviar para o meio de milhares e milhares de apoiantes deste partido seus jornalistas.

Para António Venâncio, pode configurar um acto de irresponsabilidade se não forem tomadas medidas acautelatórias ajustadas à esta discriminação e prejuízos que a mesma estação causa ao partido destes milhares reunidos no meio da rua, eufóricos, e até revoltados com ela. "Seria colocar a vida destes pobres jornalistas em perigo".

Quem envia jornalistas nesta condição, para o meio de uma multidão revoltada, de acordo com António Venâncio, deve ser responsabilizado pelo perigo que causa aos próprios jornalistas.

Na sua opinião, o que se tem de fazer, antes de enviar para o meio de uma multidão revoltada, e sendo um órgão público, pago com o dinheiro também destes mesmos milhares e milhares de cidadãos, é regularizar a situação do acesso ao órgão do líder da organização, praticar um jornalismo imparcial, plural, isento e profissionalizado.

"Colocar em risco a vida dos nossos próprios funcionários não é uma boa ideia, a menos que se lhes quisesse usar para fins macabros, como se fazia com os kamizes", apelou.

Disse por outra que, nunca se envia alguém para o meio de uma multidão eufórica que contra nós se revolta, sob risco deste alguém vir a sofrer represálias.

"O bom nisto tudo foi que o GPL e a nossa Polícia Nacional estiveram à altura. Parabéns à PN por terem ajudado a minimizar o gesto irresponsável de quem devia evitar o sucedido. Fechar a estação ao líder daquela organizacao, beneficiar uns e prejudicar outros, e depois enviar para o fogo jornalistas inocentes, pode ser visto como um acto irresponsável, suponho", conforme o engenheiro.

Por último, manifestou o desejo de que as angolanas TVs, ofereçam seus serviços públicos a todos sem discriminação, com pluralidade, isenção e profissionalismo "e Deus nos irá abençoar a todos!"

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up