Quinta, 24 de Junho de 2021
Follow Us

Segunda, 07 Junho 2021 12:48

Brigadas juvenis acusam Isaías Kalunga de corrupção na distribuição de casas oferecidas pelo PR

Algumas brigadas juvenis angolanas, parte integrante do Conselho Nacional da Juventude ( CNJ ), liderado por Isaías Kalunga, acusam o seu presidente de favorecer alguns grupos em detrimento de outros na distribuição de residências e prometem realizar uma onde de manifestações defronte à sua casa.

Segundo o porta-voz da Brigada juvenil 28 de Agosto, Januário Joaquim, o processo de distribuição das referidas residências, está repleto de vícios, dentre os quais corrupção e favoretismo.

De acordo com Joaquim, a organização que dirige, 28 de Agosto, o GREJA e outros que não apoiaram Isaías Kalunga, aquando da sua eleição para presidente do Conselho Nacional da Juventude não conseguem assinar a lista em que estão outras organizações para ter acesso às residências.

Para este, Isaías Kalunga impede que tal se concretize, porque motivos "para além de integrarem listas diferentes na Assembleia geral que o elegeu líder" ninguém sabe.

Por este mesmo facto, Januário Joaquim adiantou que, serão realizadas inúmeras manifestações defronte à residência de Isaías Kalunga e na sede do Concelho Nacional da Juventude até que todos sejam inseridos na lista, pois, as mesmas foram entregues não para fazer distinção de pessoas ou grupos.

Apelou ainda que as residências não são pertença de Isaías Kalunga " no entanto deve seguir as orientações do Presidente da República que as ofereceu e não favorecer a quem ele quer e impedir o sonho de outros jovens no acesso à casa".

Refira-se que, em Novembro de 2020, vários líderes juvenis haviam sugerido que se retirasse a responsabilidade à Isaías Kalunga na distribuição das residências, por alegadas suspeitas de incumprimentos durante o processo.

O facto ocorreu dias depois que o presidente da República, João Lourenço, em audiência, deu alegadamente 40 dias úteis ao Conselho Nacional da Juventude (CNJ) para resolver os problemas dos jovens que insistentemente se manifestavam diante de inúmeras preocupações, dentre estas o desemprego, igual altura em terão sido entregues tais casas.

As orientações, tinham sido dadas durante o encontro mantido entre Isaías Kalunga e presidente João Lourenço, na semana em que decorriam as audições, no Tribunal Provincial de Luanda, dos mais de 100 cidadãos detidos a 24 de Outubro, no sentido de, o líder desta organização juvenil mediar com os jovens que se manifestavam pela capital e que tinham em agenda mais uma marcha para o dia da Independência Nacional.

Para o efeito, o CNJ, conforme dados que este informativo teve acesso, procurou ajuda do Grémio Juvenil de Angola (GREJA), no sentido de reunir as várias organizações juvenis e líderes cívicos em vista a incentivar a não realização da manifestação de 11 de Novembro 2020.

Em declarações, outros representantes juvenis, com realce a ANATA, uma organização responsável por taxistas, em conferência de imprensa cedida no mesmo mês, afirmaram unânimes que o CNJ já não se identifica com os interesses e preocupações da juventude, pelo que apoiam a necessidade de criação de uma organização que caminha com jovens de mãos dadas e expressa Angola.

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up