Sábado, 25 de Setembro de 2021
Follow Us

Terça, 09 Junho 2020 18:16

Covid-19: País regista mais quatro casos positivos, agora são 96 casos

O quadro epidemiológico nacional viu aumentar o número de infectados para 96 com o registo de mais 4 casos positivos nas últimas 24 horas.

Segundo a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, que falava na habitual sessão de actualização de dados, trata-se de quatro pacientes provenientes da Rússia e que se encontravam em quarentena institucional. Avançou que o pacientes estão internados no Centro de Tratamento da Covid-19 localizado no KM 27, em Viana.

Cerca sanitária de Luanda continuar mais 15 dias face a elevado risco de propagação

O Governo angolano vai manter a cerca sanitária na província de Luanda, por mais 15 dias, devido ao alto risco de propagação do contágio da covid-19 nas comunidades, informou hoje a ministra da Saúde de Angola.

Sílvia Lutucuta frisou que o novo ciclo se inicia na quarta-feira e prolonga-se até dia 24 deste mês, ficando interdita a circulação e permanência de pessoas na via pública, exceto para deslocações urgentes, necessárias e inadiáveis.

A saída e entrada da capital angolana só é permitida aos profissionais de saúde, das forças de segurança e defesa e regresso ao local de residência habitual, devidamente justificados e autorizados.

Angola regista atualmente 96 casos de infeção e quatro mortos.

Angola solicita apoio internacional na luta contra a Covid-19

Angola pediu esta terça-feira à comunidade internacional para ajudar os países da África Central a mitigar o impacto da pandemia da Covid-19 e a manter a região rumo à paz e ao desenvolvimento sustentáveis.

Numa intervenção, em Nova Iorque, na reunião da Comissão para a Consolidação da Paz (PBC), dedicada à análise do impacto da Covid-19 na consolidação da paz na região da África Central, a representante permanente de Angola junto da ONU, embaixadora Maria de Jesus Ferreira, considerou necessário apoio internacional.

“Defendemos que, para consolidar e construir a paz, as Nações Unidas, a União Africana (UA), a Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) e seus instrumentos devem estar disponíveis para todas as partes trabalharem ao serviço da mesma”, salientou a diplomata angolana, cujo país foi convidado a participar no evento virtual.

Afirmou que a pandemia da Covid-19 impôs restrições abruptas à liberdade de movimentos na África Central, à medida que crescentes pressões económicas, sociais e humanitárias desafiaram a capacidade de resposta dos Estados da região.

 

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up