Domingo, 29 de Mai de 2022
Follow Us

Quarta, 01 Dezembro 2021 11:23

Governo brasileiro diz que precisa de mais informações sobre Ômicron em Angola antes de novas restrições

No sábado (27), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária brasileira (Anvisa) havia publicado uma nota técnica sugerindo a suspensão dos desembarques de voos originados dos quatro países africanos (Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia).

O governo do Brasil informou nesta terça-feira (30) que precisa de mais informações sobre a variante ômicron e a situação epidemiológica em Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia antes de adotar novas restrições.

A decisão ocorre após reunião entre o Palácio do Planalto, representantes da Casa Civil e dos ministérios da Saúde, da Justiça e Segurança Pública, da Infraestrutura, das Relações Exteriores e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"O monitoramento da situação epidemiológica no mundo, em especial nos países com casos confirmados da nova variante, continuará sendo feito pelo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde, que coordena uma sala de situação para acompanhar a evolução da pandemia no Brasil e no mundo", disse a nota divulgada nesta terça-feira.

No sábado (27), a Anvisa havia publicado uma nota técnica ampliando a lista de restrições recomendadas ao governo brasileiro em decorrência da nova variante do coronavírus. A agência sugeriu a suspensão dos desembarques de voos originados dos quatro países africanos citados pelo governo federal nesta terça-feira.

Já atendendo a uma outra recomendação da Anvisa, publicada na sexta-feira (26), o governo federal publicou uma portaria que proíbe, temporariamente, voos que tenham origem ou passagem, nos últimos 14 dias, por outros seis países africanos: África do Sul — onde a variante foi identificada pela primeira vez —, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. G1

Rate this item
(0 votes)