Sexta, 15 de Janeiro de 2021
Follow Us

Sábado, 07 Novembro 2020 17:16

Direcção do MPLA e CNJ terão orientado a polícia para interromper encontro juvenil

O encontro de líderes juvenis angolanos, agendado para este sábado, 07 de Novembro, foi interrompido à sua realização, por efectivos da Polícia Nacional, alegadamente orientados pelo Conselho Nacional da Juventude e pela direcção do MPLA, soube Angola24Horas.

Organizado por jovens de cerca de 120 representantes, o encontro de reflexão sobre os mediáticos desafios com que se debate a juventude angolana, não decorreu conforme se previa porque durante o acto no local indicado, na Ilha de Luanda, Espaço Anazanga-Rebita, foram expulsos pelo proprietário do espaço na companhia da polícia, alegando ordens superiores.

Segundo um dos organizadores do encontro, Mauro Mendes, em exclusivo para Angola24Horas, o acto tem envolvimento directo do Conselho Nacional da Juventude, liderado por Isaías Calunga, igualmente efectivo da Polícia Nacional destacado no Comando Provincial de Luanda.

"A polícia disse que a direcção do MPLA orientou e eles não querem problemas com os patrões deles", afirmou o líder, acrescentando que o acto tem o envolvimento directo do CNJ.

Refere-se que, há aproximadamente uma semana antes da realização deste encontro, informações para este informativo davam conta que o CNJ estava a boicotar ao mesmo tempo que queria aproveitar-se da reunião de líderes juvenis para impedir a manifestação de 11 de Novembro, dia da Independência Nacional.

O facto ocorreu dias depois que o presidente da República, João Lourenço, em audiência, deu alegadamente 40 dias úteis ao Conselho Nacional da Juventude (CNJ) para resolver os problemas dos jovens que insistentemente se manifestam diante de inúmeras preocupações, dentre estas o desemprego.

As orientações terão sido dadas durante o encontro mantido na semana em que decorriam as audições, no Tribunal Provincial de Luanda, dos mais de 100 cidadãos detidos a 24 de Outubro, entre o presidente do CNJ, Isaías Calunga, e o presidente da República, no sentido de, o líder desta organização juvenil mediar com os jovens que manifestam pela capital e que têm agendada mais uma marcha no dia da Independência Nacional.

Para o efeito, o CNJ, conforme dados que este informativo teve acesso, procurou ajuda do Grémio Juvenil de Angola (GREJA), no sentido de reunir as várias organizações juvenis e líderes cívicos em vista a incentivar a não realização da manifestação marcada para 11 de Novembro corrente.

Em declarações, outros representantes juvenis, com realce a ANATA, uma organização responsável por taxistas, em conferência de imprensa cedida no início da tarde deste sábado, afirmaram unânimes que o CNJ já não se identifica com os interesses e preocupações da juventude, pelo que apoiam a necessidade de criação uma organização que caminha com jovens de mãos dadas e expressa Angola ao invés de um grupo restrito.

Armando Makengo Izzy

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up