Sábado, 28 de Novembro de 2020
Follow Us

Sexta, 23 Outubro 2020 14:23

UNITA denúncia notícias fabricadas pelo SINSE e exorta JLO a assumir-se como presidente dos angolanos

O Secretariado Executivo do Comité Permanente da UNITA, denuncia que está a circular nas redes sociais, um suposto comunicado do Comité Permanente, na sequência de uma reunião que também não teve lugar, procurando desmobilizar a participação na manifestação convocada para amanhã, exigindo autarquias e melhoria das condições de vida.

Em virtude do acima exposto, o Secretariado Executivo do Comité Permanente da Comissão Política da UNITA, esclarece que o suposto comunicado do comité permanente foi fabricado nas oficinas dos Serviços de Segurança do Estado para atentar contra o direito à manifestação, consagrado no artigo 47º da Constituição da República de Angola.

Segundo o comunicado desta sexta-feira, 23, essa acção dos Serviços de Segurança do Estado e do Gabinete de Acção Psicológica é o culminar da intensa campanha de fake news, intrigas e calúnias contra a direcção da UNITA nas redes sociais, envolvendo entidades do governo.

"Tal atitude que contraria o direito à Oposição, consagrado na Constituição da República de Angola reflecte uma regressão e grave atentado ao Estado Democrático nunca vivido no tempo de José Eduardo dos Santos", refere a nota observando que é também a manifestação do total desespero do partido no poder, perante a crescente consciência cidadã que desperta os angolanos para o exercício de seus plenos direitos constitucionalmente consagrados.

Na sequência, o Secretariado Executivo do Comité Permanente da Comissão Política da UNITA, torna público o reafirmar a sua disposição de trabalhar com todas as forças vivas do país para o aprofundamento do Estado Democrático de Direito e do processo de Reconciliação Nacional.

Este comité, reiterar ainda que a Lei de Protecção Civil, sob a qual existe hoje o Estado de Calamidade e o Decreto Presidencial, não permite a violação de Direito Constitucional Consagrados, salvaguardando assim o Direito à manifestação para além de exortar o Presidente João Manuel Lourenço a assumir-se como verdadeiro chefe de Estado ao serviço de todos os cidadãos

O comunicado, por fim, insta os órgãos de Segurança de Estado a serem garante do Estado Democrático de Direito e a demarcarem-se do envolvimento partidário, contra as forças constituintes do Estado Democrático de Direito.

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up