Quarta, 20 de Outubro de 2021
Follow Us

Sexta, 17 Setembro 2021 13:03

TPA é a máquina de Guerra subversiva do MPLA contra a UNITA

Não há democracia sem a mídia democrática. Não há liberdade sem a mídia livre. Não há Estado de Direito e Primado da Lei (Rules of Laws) com uma mídia que viola a lei. Mas também não há ditadura sem a mídia ditatorial. A mídia é o instrumento que serve para democracia ou para ditadura.

Os democratas angolanos, os defensores de direitos humanos, os personalistas, não podem impor seus valores a uma mídia que serve como instrumento nebuloso e sombrio da ditadura que teima em se perpetuar no Poder. Essa mídia subversiva só irá mudar com o derrube da árvore que a gerou e a amamentou, a Ditadura.

É por aí onde situar a TPA sempre. E desde que o Presidente do MPLA, João Manuel Gonçalves Lourenço confiscou a TV-Zimbo, para transformá-la em “irmã Gémea da TPA” na verdade TPA-3 então a liberdade de imprensa que já era um sonho distante virou miragem em Angola.

I - A TPA e a TV-ZIMBO anunciaram que de hora em diante irão eliminar na sua pauta a cobertura das actividades da UNITA.

A TPA não faz e nunca fez algum favor a UNITA nem a qualquer outro partido na oposição porque os militantes, simpatizantes e amigos da UNITA bem como a sociedade no seu todo pagam impostos que financia os salários dos ingratíssimos editores da TPA.

A Televisão Popular de Angola (TPA) não pode declarar aberta e cinicamente uma discriminação que de resto já faz contra a UNITA porque a TPA não é órgão privado e sim público tal qual um partido com Assento Parlamentar e tantas outras instituições inscritas nos cartórios da República de Angola, mas a TPA também é instrumento de todos, incluindo os camponeses que com suas colheitas pagam indirectamente os salários do director da TPA até a empregada de limpeza da TPA.

Mas pronto que a TPA vive a custa de nossas contribuições eles já sabem. Que a TPA se alimenta do Orçamento Geral do Estado que o Estado é o Povo Angolano, a TPA já sabe então não quero mais perder o meu precioso tempo com fanfarra da Lei de Imprensa que TPA se farta de violar. Não quero mais falar da Constituição da República de Angola que a TPA adora violar de forma vil e cínica. Aqui vou apenas me ater na minha justa indignação inspiradora.

A TPA é escrava do Regime sádico e ditatorial angolano. Como escrava, a TPA não entende a linguagem da lei, a linguagem da norma, a linguagem da civilização. A TPA entende apenas a linguagem da violência e do chicote. Então é a linguagem que me vou adaptar para a TPA me entender agora e para sempre.

Eu ouvi na surdina que a UNITA está a festejar essa decisão da TPA. Gaudio é o sentimento que os amigos, simpatizantes e militantes da UNITA aos milhões estão celebrando mais um ganho, mais uma victória, de todo retumbante! Bravo, Aleluia! Bem haja TPA e TV-Zimbo. Largos sorrisos nos lábios da UNITA, jovialidade nos rostos da UNITA, regozijos e alívio no espirito da UNITA. Satisfação em plenitude e uma victória estrondosa antecipada!

A data em que a TPA anuncia fim da sua lendária guerra subversiva contra a UNITA deve ser encarada pela própria UNITA como uma data memorável e mais importante do que o “11 de Novembro em que o Colonialista depois de 500 anos de escravizar o dono da terra, finalmente sai vencido e derrotado e humilhado! Assim também é a neocolonialistaTPA que sai derrotada pela história e julgada pelas crianças e cuspida na cara até pelos bêbados.”

O anúncio da TPA em terminar sua cruzada insana contra a UNITA deve ser uma data para a UNITA tão “rejubilante” como o 13 de Março.

A TPA abraçou a guerra contra a UNITA desde Agosto de 1975, 3 meses antes da Independência e essa guerra nunca mais terminou até nesta data feliz em que a TPA com seus ombros caídos para frente, com cauda enrolada no meio das pernas bambas e sem ossos, finalmente anuncia a retirada, abandona a sua agenda mais rica de insanidade, a sua tresloucada cruzada contra seu inimigo número 1: a UNITA! Que coisa louvável alguma vez a TPA fez à UNITA? Nada! Alguma vez a TPA fora útil para a UNITA? Em nenhum momento da história. Pelo contrário a TPA está prenhe de assuntos funestos contra a UNITA.

O fim da cobertura das actividades da UNITA e seus dirigentes pela caprichosa e mimosa TPA, deve representar para a UNITA a verdadeira paz. Os amigos, simpatizantes e militantes da UNITA nas 18 províncias e no estrangeiro, nos municípios e comunas e aldeias de Angola, finalmente estão a ser convidados pela TPA a se desligar dessa Televisão bizarra. Mas é uma perda irreparável que a TPA se infringe no pé perdendo uma audiência substantiva e mais da metade dos angolanos! Eu nunca vi tamanho erro de cálculo! Pasme o analfabetismo funcional da TPA!

Finalmente, voluntário, oportuno, atempado o inimigo mais louco abandona a trincheira derrotado. É o prelúdio do MPLA abandonando o Poder numa derrota limpa que se avizinha nos próximos dias, meses ou anos. Eu, pelo menos, exulto de alegria com essa notícia, a melhor notícia em 2 séculos!

Todavia, eu estou ceptico. Eu duvido sem a UNITA a TPA não mais tem agenda. A TPA é gabinete extensivo da UNITA. Sem a UNITA a TPA é vento sem chuva, sem a UNITA a TPA irá demitir praticamente todos os seus chefes; porque são todos absolutamente todos recrutados pelo seu patrão, apenas para falar, escrever, respirar, sonhar com a UNITA e sem esta, então eles ficarão sem trabalho.

Acaso já imaginaram o Presidente do MPLA fazendo discurso sobre o Estado da Nação do MPLA, na sede do Parlamento e a TPA desvia as câmaras de filmagem para não captar a Bancada Parlamentar da UNITA com seus 51 deputados? Já imaginaram a UNITA convocando a próxima marchas nas 18 províncias ou 25 províncias se sonharmos já com a marcha que a UNITA irá promover para saudar as 5 novas províncias fantasmas que o MPLA está a criar, e nessas marchas, vigílias, manifestações ininterruptas e a TPA emudece e não passa as imagens, pelo menos eu vou convidar a Aljazeera, RTP, Euronews, CNN que estão muito mais interessados em notícias bonitas do que a TPA e TV-Zimbo pelos vistos.

O pão dos funcionários da TPA depende de insultar e denegrir a UNITA e sem a UNITA a TPA não é mais necessária para o seu patrão MPLA, apesar de o dinheiro de sua manutenção ser meu como cidadão. É por isso que eu DUVIDO!!! Eles vão continuar a fazer cobertura das actividades da UNITA senão vejamos:

A TPA, já não irá apresentar os Kawikis dissidentes da UNITA? E vão apresentar quem? Será que doravante a TPA jamais falará de Adalberto da Costa Júnior nem de sua máquina da democracia e direitos humanos que é a UNITA? Doravante a TPA não mais lerá no centro de seus espaços noticiosos os comunicados do Bureau Político do MPLA contra a UNITA?

Doravante a TPA não mais transmitirá as conferências de imprensas de militantes do MPLA simulados como se de dissidentes da UNITA se tratasse?

Estou convicto de que sem a UNITA nas vidas da TPA, sem falar da UNITA dentro da TPA, muitos de seus funcionários vão ficar sem trabalho e serão demitidos porque 90% dos funcionários da TPA foram empregues e são pagos (com nosso dinheiro) para insultar, ofuscar, perturbar a UNITA. Sem UNITA a TPA não existe!!! A ausência da UNITA nos noticiários da TPA deixa um vazio lúgubre e tenebroso nos corredores da TPA. Sem a UNITA a TPA vai ser parecida a uma cidade fantasma, um deserto agreste sem vida, a TPA vai ser uma canção sem música.

Na proposição inversa sem a TPA a UNITA tem motivos de festejar!

Estou a significar que a TPA não sobrevive sem a UNITA. “Casaram-se” em 1975 e ao longo desses 46 anos brigaram de forma ferrenha, lutaram tresloucados, batalhas de palavras foram destiladas e conheceram-se demais uma da outra. Pelo contrário a UNITA é robusta com ou sem a TPA porque ao longo da história angolana dos últimos 46 anos a UNITA enfrentou as trincheiras da guerra subversiva liderada pela TPA e a UNITA não caiu. É “dura na queda” porque, fortaleceu-se ainda mais por isso a UNITA se robustece sempre que a TPA enfraquece.

É por isso que a UNITA está a celebrar essa decisão como o primeiro passo em direcção a vitoria iminente. Porque, finalmente, a TPA decidiu terminar sua guerra subversiva, abusiva e exagerada contra a UNITA.

A TPA nunca, absolutamente nunca fez cobertura positiva das actividades da UNITA. Terminando esse ciclo violento então é vantajoso para UNITA. “Um inimigo irracional que voluntariamente se retira da sua inglória trincheira” a TPA está anunciar o fim da sua insanidade televisiva contra a sua vítima lendária de estimação.

Os que têm memória se lembram do papel da TPA durante a guerra civil sobretudo o período de 1992 até 2002. Porque de 1975 até 1992, todos os angolanos éramos tão empobrecidos pelo comunismo que poucas pessoas privilegiadas (menos de 1%) tinham em casa aparelho de TV. Por exemplo no município onde eu nasci (Tchicala-Tcholohanga, no Huambo) da Independência até 1991 só em casa do Comissário Municipal (Administrador Municipal) e em casa do Camarada 2º Secretário Municipal do MPLA é que tinha televisores. Até me lembro, aquando da assinatura dos Acordos de Bicesse, fomos assistir o efemérides na varanda do Comissariado Municipal porque era a única casa que tinha luz e TV.

Portanto pela pobreza fabricada nos gabinetes tenebrosos do MPLA contra o povo, nunca tínhamos contactados a loucura da TPA, mas depois de 1992 que a economia do mercado nos permitiu vender feijão e comprar aparelhos de TV, entrou em nossos agregados familiares a intrusa TPA, a desordeira prima, tagarela e indisciplinada. Faz parte dos nossos azares: juntamente com o seu patrão MPLA, a TPA são o Carma de todos os angolanos.

A democracia no País desde 1992 coabitou com a ditadura cujo rosto sempre foi a TPA. A TPA é o retrato vivo da ditadura, da corrupção institucionalizada, da violação vil e sistemática da lei e para mais: a TPA é inimiga nº 1 da Paz. Vocês viram o papel da TPA no genocídio do 27 de Maio de 1997? Acaso existe algum angolano de saúde mental que se esqueceu do papel da TPA no massacre pós eleitoral contra a UNITA em 1992 e 1993? Vocês compatriotas estão esquecidos do papel da TPA no genocídio tribal contra os ovimbundos e os Kikongos incluindo a sexta-feira sangrenta?

Vocês não devem se ter esquecido do papel hediondo da TPA no genocídio religioso contra os seguidores do auto-denominado Profeta José Kalupeteka até aqui preso político do MPLA para não revindicar os milhares de seus seguidores amassados no Monte Sumy pelo MPLA com endosso da TPA. Mas o Massacre contra os Kalupetekistas é um pouco distante porque passam 6 anos. Voces esqueceram do papel manipuladora da TPA aquando do genocídio tribal contra os Lunda-Tchokwe do Kafunfo que foram massacradas e atiradas aos jacarés e crocodilos do rio Cuango. O sangue desses cidadãos a culpa repousa toda na TPA.

A TPA e a TV-Zimbo exigem que a UNITA peça desculpas públicas à TPA e a TV-Zimbo por supostas agressões a seus jornalistas que como “PATOS PROVOCADORES” foram se infiltrar de forma indigna numa actividade democrática de que eles têm aversão patológica e odeiam com todas as suas forças.

Vejam que não foram convidados. E sim entraram para a marcha “ de penetra” só para gerar confusão! Vocês já viram isto? Um intruso vem em nossa casa e perturba nossa paz e depois se coloca no lugar de vítima. Acaso a TPA recebeu convite da cobertura da Marcha? Não, se fosse uma televisão séria, republicana, democrática não haveria necessidade de convidá-la, porque aquela marcha fora convidada por um actor político importantíssimo que é a UNITA. Mas não, pela sua conduta a TPA teria que ser convidada mas se entrou pela janela da marcha, como faz um mau ladrão “gatuno” e agora exige que seja sacralizada, beatificada, santificada, o que eu e o Diogo Freitas do Amaral chamamos de “homenagem ao vício” a TPA quer que a UNITA ofereça ramos de rosas vermelhas e uma barra de chocolate ao inútil TPA, abusiva e desmiolada Televisão.

Com assumpção completa de minha responsabilidade quando falo da TPA estou a falar do Ministro da Comunicação Social e de todos os PCA da TPA que são os responsáveis pessoais desse cúmulo de burrice da TPA!

Informo-vos que não sou anónimo, sou cidadão patriota e convicto e repugna-me que a TPA seja dirigida por homens e mulheres desmioladas que dia e noite planificam asneiras enganando o Estado, esbanjando rios de dinheiro para fabricar uma verdadeira “mijeira, uma verdadeira borrada” os dirigentes da TPA começando mesmo pelo SENHOR ministro da comunicação social, deveriam se demitir em massa. “Mas a culpa não é deles” a culpa é do MPLA e o seu Presidente João Lourenço! A TPA foi tornada fantoche, lacaio, títere, do partido MPLA que não pensa. Não raciocina quando está em jogo a destruição da democracia para se perpetuar no Poder.

Há muito tempo a TPA fazendo o jogo do MPLA declarou uma guerra sem trincheira contra Adalberto da Costa Júnior, o carismático Presidente da UNITA. Num silêncio inteligente ACJ tem sua agenda política e social que vai “ de vento em popa” vai bem como uma encomenda. E goza de uma saúde sem precedente na República de Angola. A ditadura tremelique, gemebunda, envelhecida no pensamento e na estratégia destila ódio sem parar. Drena raiva como “cão não vacinado”! Prolifera imparável como o vírus da COVID-19!

Actualmente, nenhum angolano está mais interessado em ver a Ditadura do Presidente João Lourenço florescendo como o fora a ditadura de Agostinho Neto que em um mandato interrompido com a morte já ceifou vidas angolanas aos milhares, mais de 80 mil angolanos para ser mais preciso, que Agostinho Neto em seus 3 anos de governação mandou amassar.

A TPA jogou o mais hediondo papel nisto como bem o referi acima.

Em 38 anos de Ditadura José Eduardo dos Santos destruiu o tecido social angolano desde a cultura, a economia, a moral pública, a educação, a saúde, delapidou as nobres riquezas da Nação, discriminou povos e tribos inteiros e só foi possível com papel obscuro, cúmplice e diabólico da TPA. Quem não se lembra? Claro que todos nos lembramos exceptos os covardes de que me recuso a ser!

Mas a TPA não tem memória, não tem arquivo, é uma instituição evidentemente desmiolada e cega pela soberba; senão, lembrar-se-ia quantos e quantos milhões em dinheiro “mamaram” das tetas do País para destruírem a imagem da UNITA desde a Independência até 2002? Não conseguiram!!! Gastaram dinheiro de Angola àtoa a UNITA no lugar de enfraquecer se fortaleceu.

É na UNITA onde se pode enxergar os resultados do provérbio que diz: “construa o seu castelo com as pedras que o teu inimigo te atira” a UNITA provou ao longo de 46 anos que é fortíssima: nunca teve uma Televisão.

A TPA disparou todas as suas bombas subversivas e autodestruiu-se. Não existe a coisa mais repugnante, nojenta, enfadonha, tediosa em nossas salas de estar do que a TPA.

Eu e a minha família bem como todo o nosso círculo de convívio deixamos de assistir a TPA há muitos anos. O esterco noticioso da TPA apenas cruza inadvertidamente comigo e minha família através das publicações doutras pessoas nas redes sociais. Nas minhas redes sociais todo aquele que publica algo da TPA eu bloqueio de forma intolerante porque não gosto de lixo!

Na nossa casa e nos círculos de nossa influência não há lugar para TPA.

Neste momento e com muita segurança, certeza e convicção a TPA apenas é apreciada pelos seus funcionários mais um ou outro militante do MPLA porque nem todos do MPLA valorizam lixo só alguns. A maioria dos lúcidos membros do MPLA que valorizam a democracia, valorizam a saúde social, valorizam o belo, valorizam Angola, também se repugnam da TPA e não assistem aquilo aí!

Dentro do MPLA tem boas pessoas apesar de poucas! Mas o provérbio disse que “ o osso não se perde no sangue”. Por mais que sejam poucos os bons estão lá dentro e odeiam com todo ar de seus pulmões a TPA. E estão hoje a festejar com a UNITA o fim do ciclo de violência televisiva contra a UNITA.

Pensava-se que seria uma cadeia infinda de violência e por um milagre qualquer o violento cansou-se mais rápido do que a sua vítima. Aliás, dizia Oh Chi Minh, antigo líder do Vietnãme na guerra com o gigante americano: "em cada soldado americano morto, os poderosos vão matar 200 vietnamitas. Em cada bala disparada pelos vietnamitas o poderoso vai responder disparando um milhão de monições, vai deflagrar 100 bombas, vai detonar 200 engenhos explosivos e no fim quem matou mais, quem disparou mais ficará cansado mais rápido e cedo”.

A UNITA pedindo desculpas a TPA seria a mesma coisa que homenagear o vício: como por exemplo colocar o fio de oiro no pescoço do porco. Pedindo desculpas a TPA equivaleria colocar a mitra do Papa na cabeço do macaco. Pedindo desculpas à TPA equivaleria agradecer o mau por tantos prejuízos que causou a Nação angolana. Pedindo desculpas a máquina de guerra subversiva seria um crime de lesa Pátria; seria negar a democracia, seria condecorar a ditadura. Pedindo desculpas a TPA por tanto veneno social que está a destilar, destruindo a moral pública, destruindo a democracia, negando o Estado de Direito, violando vil e despudoradamente as leis mais nobres da República,

Senhoras E Senhores, Damas E Cavalheiros

Pedindo desculpa a TPA seria um erro de palmatória por parte da UNITA.

A UNITA é madura, é adulta, é democrata por isso não pode pedir desculpas a uma televisão infantil e caprichosa. A TPA é adolescente permanente e não cresce só por isso cuspiu na cara da UNITA e ainda exige desculpas à sua vítima. A TPA é um assassino de carácter e é bizarra e insana: bate nos outros e é ela que chora.., insulta os outros e é ela que sente a dor…e é ela que se ofende. A TPA tem senso de humor, a TPA é engraçada e muito cómica. Parece bonecos da Banda Desenhada, o que faz não se justifica nem se tolera. É  um dever patriótico condenar as atitudes da TPA.

Lembrete

Chamo-me Ângelo Kapwatcha, com orgulho e paixão a transbordar do âmago da minha alma, fiz parte das pessoas que subscreveu a marcha convocada pela UNITA, contribui com a minha força anímica e sugeri que essa agenda das marchas deverá continuar de Luanda para as outras 17 províncias, dos municípios de Luanda para preencher os actuais municípios todos de Angola e como o MPLA está multiplicar mais províncias e mais municípios e mais comunas como cogumelos, mas o povo é o mesmo sofredor de Angola, estamos a espera… a inauguração das NOVAS PROVINCIAS que João Lourenço e TPA estão a criar, será feita no meio a megas manifestações lá mesmo por falta de tudo e mais alguma coisa. Angola é Nossa e muito NOSSA!!! Não a devemos nem à TPA nem ao MPLA é muito nossa e lutar por ela é o dever sagrado e patriótico.

Nós saudaremos as novas províncias com manifestações, marchas, vigílias até que finalmente a TPA compreenda a democracia e o estado de direito são nossas bandeiras e vamos defende-los com dentes e unhas! A democracia é irreversível nesta luta para se consolidar a democracia podemos dizer que a UNITA é apenas 1 soldado e o povo angolano é o exército.

Nós angolanos de Cabinda ao Cunene do Lobito ao Luau vamos defender a democracia, os direitos humanos e só é possível tais virtudes, com eleições livres, justas, transparentes concorrenciais ancoradas na mesa de voto, na assembleia de voto, na comuna eleitoral e no município eleitoral e nunca, nunca e nunca na TPA.

A TPA tem sido o instrumento da fraude eleitoral porque tem vindo a espalhar o roubo dos votos nos seus estúdios ( eu descobri que foi por isso que essa Marcha doeu muito mais a TPA do que ninguém mais…).

A TPA é protagonista em Angola de todas as 4 fraudes eleitorais.

A CNE cria o cenário e o ambiente e a TPA materializa o roubo eleitoral por isso a marcha de repúdio à fraude eleitoral veio como “um soco bem na boca da TPA” que não pode voltar a se intrometer nos assuntos da democracia em Angola.

Faremos marchas, manifestações, vigílias etc na forma ininterrupta até que a ditadura medieval instalada em Angola haviam 46 anos capitule ou no mínimo civilize-se, humanize-se, democratize-se afinal oriente-se à luz do Direito.

O primeiro passo teremos que ensinar à TPA a ser civilizada e racional. Ensinaremos à TPA que Angola se governa pela lei e não pelas “ordens superiores”.

Portanto ensinaremos a TPA que se robusteceu com dinheiro de nossas contribuições e por isso exigimos respeito as nossas virtudes democráticas e o primado da Lei.

Recuando imediatamente para os anais do passado, veio-me à memória a minha infância, adolescência e juventude, por meio da TPA o MPLA intoxicava as crianças com falsas informações de que os militantes da UNITA tinham caudas e chifres e eram animais selvagens. Volvidos anos a fio a TPA não se retratou dessa agenda subversiva que fora sempre sua marca.

Através da TPA o MPLA incutiu na mente dos angolanos a falsa ideia de que os militantes da FNLA comiam pessoas e, portanto eram canibais.

A Rádio Nacional de Angola, tinha dezenas de programas especificamente de insultos, diabolização da UNITA, a sátira contra o Líder Fundador da UNITA, Dr. Jonas Malheiro Savimbi. Os Jornalistas apaixonados até medula, quem é o Angolano que não se lembra do altissonante nome de Otávio Kapapa e Chico Torre?

Alguém se lembra dum nome como Ernesto Bartolomeu, Luís Domingos mais recentemente com o seu programa “Nação Coragem”!?

Nunca receberam medalha de ouro das mãos de seus patrões por promover uma guerra suja contra a UNITA e na “era de restauração” eis novamente a TPA defendendo a sua marca lendária. Afinal é verdade quando o provérbio diz que “ ninguém consegue fugir do seu próprio fedor pestilento”! A TPA não consegue se livrar do seu fedor nauseabundo historicamente tóxico.

Passaram mais de 10 anos, 20 anos, 30 anos, 40 anos afinal 46 anos.

A UNITA evoluiu, a UNITA progrediu, a UNITA democratizou-se, a UNITA ultrapassou de longe os limites mínimos da Civilização e afinal a UNITA se orienta com o primado da Lei. Mas a TPA-Televisão Popular do MPLA é semelhante a uma pedra. Não cresce, não se alimenta, não desenvolve, não atinge a maturação é cronicamente uma instituição infantil, e insensata porque não cresce, NÃO EVOLUI. Continua rude, rústica, irracional e principalmente estática no tempo e no espaço como bem o são os inorgânicos, pedras frias.

A TPA desta vez agiu em defesa ferrenha da fraude eleitoral. O Bureau Politico do MPLA incumbiu à TPA jogar “seu jogo sujo”. Os meus amigos chefes da TPA sussurram em meus ouvidos de que “ a culpa não é nossa, escrevam mesmo para os chefes ouvirem”…até pediram-me que influenciasse a sociedade civil par emitir um comunicado colectivo de repúdio às atitudes da TPA porque fazendo-o chamaria mais atenção aos Superiores que nos pressionaram a fazer o que fizemos.

O MPLA pensa que em Angola consegue disfarçar novamente suas atitudes impróprias no País da Democracia? É claro que não porque as informações que circulam nos corredores sombrios do Comité central e do Bureau politico nos chegam em directo porque os lúcidos militantes do MPLA estão cansados de tanto serem obrigados a agir como marionetes, títeres e palhaços. Querem e anseiam ser cidadãos e não mais escravos dos chefes, oportunistas, corruptos e ladrões.

O Presidente do MPLA ao devolver a lei eleitoral à Assembleia Nacional fez manobra de diversão para enganar a Oposição e pensar que ele fosse ente do bem quando na verdade foi a garantia da fraude extra-legal que lhe deu conforto de devolver aquela lei.

O presidente foi-lhe garantido que a fraude será feita pela CNE, pelo Tribunal Constitucional, pela Casa Militar dele e pela TPA por isso devolveu a proposta de lei à Assembleia Nacional para desviar a atenção por isso nosso apelo é que as manifestações devem ser contra a CNE, o tribunal constitucional, o MATREA, a tal casa militar do Presidente e a TPA até que tenhamos certeza absoluta que as eleições de 2022 venham a ser eleições novas e novas eleições…

O que é que quero significar?

O desprezo pela decisão do Presidente do MPLA em relação a lei eleitoral aprovada pelo MPLA num jogo de eterno-retorno, as atitudes anti-democrática do Tribunal Constitucional do MPLA, toda ela capturada pelos membros seniores do Núcleo Duro do MPLA vulgo Bureau Político; o MATRE capturado pelo MPLA que usa de forma abusiva o dinheiro de Angola com o eleitoralista programa PIIM que na verdade se trata do PIN para a fraude eleitoral; a PGR capturada pelo MPLA, o Grupo Parlamentar do MPLA como paredão de betão no Parlamento para subverter a democracia, a economia da Nação roubada toda pelo MPLA, as armas que deveriam garantir a segurança dos cidadãos estão ao serviço do MPLA, os Serviços de Inteligência e Segurança do MPLA como agência ao serviço do MPLA tal como o era a PIDE-DGS da era colonial e a sua filha MINSE-DISA que tem no SINSE sua actual continuidade estão em plenitude ao serviço do MPLA.

Tudo isto inspira cada cidadão consciente a ir a rua, a fazer a democracia directa e progressista nas estradas, nas esquinas dos bairros, nos mercados informais, na lavra, na apicultura ou na pesca, no deserto ou na grande floresta, cuja finalidade é trazer a mudança tão ansiosamente desejada. “Nós queremos a mudança já já”!

A TPA quando insultava nos quatro ventos do mundo contra a UNITA em algum momento tinha um lema que muitos como eu nos lembramos com saudade amarga: “ANGOLA DIZ BASTA!!! ANGOLA VAI VENCER” !!! Nós angolanos conscientes estamos a reeditar este lema contra o MPLA e deveríamos usar a TPA novamente com o mesmo lema: “ANGOLA DIZ BASTA !!! ANGOLA VAI VENCER!!!.

Agora para terminar falo um pouco para os jornalistas.

Quando a UNITA convocou a mega-marcha apelando para eleições livres, justas, transparentes, concorrenciais,igualitárias e competitivas dizia eu que o Bureau Político do MPLA emudeceu atónito embora espumasse a boca mas nenhum vocábulo fora proferido de tanto espanto. A Polícia entendeu a mensagem e preferiu agir como se de Polícia Republicana se tratasse (louvado seja).

Então o MPLA instrumentalizou a TPA para buscar aquilo que em jornalismo chamamos de “Padrão da Inversão”. Na censura jornalística fala-se de padrão da inversão onde para ofuscar a inofuscável usaram o falso problema de agressão contra jornalistas para inverter o essencial ( que é a Marcha retumbante) para o supérfluo (suposta agressão sem vítimas).

Os supostos jornalistas da TPA e TV-Zimbo foram orientados especificamente para irem provocar e roubar a cena. Como a TPA por definição e infelizmente agora sua irmã gêmea TV-Zimbo são Instrumentos subversivos da guerra psicológica do MPLA contra a UNITA e tal agenda estéril remonta ao tempo de Agostinho Neto, atingiu o ápice no tempo de José Eduardo dos Santos e actualmente como eterno-retorno está a ser tudo reeditado à moda selvagem dos idos tempos de Partido-Único pelo Presidente João Lourenço então criaram manchete fantasma em suas edições para ofuscar a Marcha que foi um sucesso maravilhoso.

A censura tem várias tipologias e uma delas é esta por isso para a UNITA eu apenas tenho a dizer que continuem com a vossa caravana enquanto os cães ladram e o povo angolano já está muito agradecido e vos está apoiar 24h/24 e em toda Angola. Convoquem mais manifestações, mais vigílias, mais marchas porque haverá banho de população ansiosa a ver uma Angola livre da ditadura do MPLA e da TPA. Não peçam desculpas a quem não ofenderam. Não peçam desculpa a quem não é digna delas. Não recuem nunca nessa luta de que tanto Angola precisa. Finalmente TPA, vocês vão me pagar e me devolver o meu dinheiro que estão a gastar ÀTOA, SEUS MAUS CIDADÃOS E MERCENÁRIOS DE UMA POLÍTICA CADUCA!!!

Por: Ângelo Kapwacha

Defensor dos Direitos Humanos

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up