Terça, 25 de Junho de 2024
Follow Us

Quinta, 21 Dezembro 2023 12:10

Angola anuncia saída da OPEP devido a limites de quotas de produção

O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino de Azevedo, anunciou, esta quinta-feira, a saída de Angola da OPEP.

A decisão, devidamente ponderada, foi tomada em sessão do Conselho de Ministros, orientada pelo Presidente da República, João Lourenço.

"Sentimos que neste momento Angola não ganha nada mantendo-se na organização e, em defesa dos seus interesses, decidiu sair", referiu.

Realçou que o país sempre cumpriu com as suas obrigações e lutou o tempo todo para ver a OPEP se modernizar, ajudar os seus membros a obter vantagens.

Em declarações à Imprensa, o ministro esclareceu que "quando estamos nas organizações e as nossas contribuições, as nossas ideias, não produzem qualquer efeito, o melhor é retirar-se".

A decisão de Angola de abandonar a OPEP foi já, está quinta-feira, transformada em decreto lei, assinado pelo Presidente da República, João Lourenço.

No início deste mês, o representante de Angola na OPEP, Estevão Pedro, rejeitou a quota de produção petrolífera atribuída pelo cartel, que previa uma redução, e que Angola iria manter a meta de 1 180 mil barris por dia para 2024.

No final da 36.ª reunião ministerial desta organização de 23 países, em que foram deliberadas as quotas de produção para os seus membros a partir de 01 de Janeiro de 2024, Estevão Pedro disse que “Angola não concordava” com a decisão.

“Nós já tínhamos apresentado os nossos dados, tendo em conta as capacidades do país, mas, entretanto, a decisão [da OPEP+] foi contra a quantidade que nós prevíamos”, sublinhou.

A OPEP+ apresentou uma meta de 1.110 mil barris/dia, enquanto Angola quer produzir mais 70 mil barris. Segundo o responsável, durante a reunião, Angola reafirmou a sua posição, mas ao contrário da unanimidade que tem sido habitual, a OPEP decidiu uma quota na qual Angola não se revê.

“Não nos revemos no 1.110 mil de barris/dia que é refletido no documento [comunicado da OPEP] e continuamos com a nossa proposta que é de 1 180 mil barris/dia. Este montante é o que faremos o esforço de produzir durante o ano de 2024”, reforçou.

Angola aderiu voluntariamente a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) em 2006.

A OPEP é uma organização intergovernamental de 13 nações, fundada em 15 de Setembro de 1960 em Bagdad pelos cinco membros fundadores (irão, Iraque, Kuwait, Arábia Saudita e Venezuela).

Tem a sua sede, desde 1965, em Viena, Áustria, e em Setembro de 2018, os 14 países membros representavam 44% da produção global de petróleo e 81,5% das reservas comprovadas do mundo.

A OPEP goza de uma grande influência nos preços globais de petróleo, previamente determinados pelos chamados agrupamento "Sete irmãs" de empresas multinacionais de petróleo.

Exportação do petróleo representa 47% no PIB de Angola.

Rate this item
(1 Vote)