Sábado, 09 de Dezembro de 2023
Follow Us

Sábado, 04 Novembro 2023 13:44

Ex-ditador da Guiné-Conacri "Dadis" Camara escapou da prisão e foi preso

O antigo ditador guineense Dadis Camara foi hoje libertado da prisão, em Conacri, por um grupo de homens armados, anunciou o Governo, que decretou o encerramento das fronteiras do país.

Esta manhã alguns moradores e comerciantes em Conacri indicaram à Agência France Presse (AFP) que foram ouvidos disparos de armas automáticas e que ninguém podia entrar ou sair do centro da capital, sem conhecerem, à altura, o motivo.

Posteriormente, o ministro da Justiça da Guiné, Charles Alphonse Wright, anunciou que Dadis Camara tinha sido libertado por um grupo de homens armados.

O antigo militar Claude Pivi e Blaise Goumou também escaparam da prisão, segundo o executivo.

Dadis Camara foi preso e voltou para a prisão…

O Capitão Moussa Dadis Camara foi finalmente capturado e levado de volta para a casa de detenção central em Conacri, de onde foi “libertado” por um comando fortemente armado na noite de sexta-feira para sábado, 4 de novembro de 2023.

“ele foi levado de volta para a casa central. Ele está lá. Também estão Thiegboro e Goumou que estão lá. Mas Pivi, ainda não o encontrámos”, disse uma fonte judicial muito próxima do caso.

Poucas horas antes, outra fonte judicial informou-nos que tinha sido localizado e que uma equipa das forças de defesa e segurança o tinha ido à procura.

Um dos seus advogados entrevistado pelo Agência France Presse (AFP) também confirmou a presença do capitão do Dadis Camara na casa de detenção central em Conacri .

“Enquanto falo com vocês, o Presidente Dadis Camara está são e salvo na casa central de Conacri”, confidenciou o seu advogado Pépé Antoine Lamah.

Contactado por telefone no final da manhã, advogado Jean Baptiste Jocamey Haba, outro advogado do capitão Dadis Camara, descartou a teoria de uma fuga do seu cliente. Para ele, tudo leva a crer que o ex-chefe de Estado foi “sequestrado”.

Camara e uma dúzia de antigos militares respondem por um conjunto de assassinatos, atos de tortura, violações e sequestros, cometidos em 28 de setembro de 2009, num estádio nos subúrbios de Conacri.

Pelo menos 156 pessoas morreram e centenas sofreram ferimentos.

De acordo com um relatório da comissão de inquérito mandatada pela ONU (Organização das Nações Unidas), pelo menos, 109 mulheres foram violadas.

Em 2021, a República da Guiné foi alvo de um novo golpe de Estado, que levou o coronel Doumbouya a ser empossado Presidente, comprometendo-se a entregar o poder aos civis eleitos, no prazo de dois anos, a partir de janeiro de 2023.

Um grupo de partidos e organizações da oposição denunciou que os compromissos não têm sido cumpridos, alertando para uma “ditadura emergente”.

Rate this item
(0 votes)