Sexta, 10 de Abril de 2020
Follow Us

Terça, 20 Outubro 2015 04:09

Julgamento de ativistas angolanos arranca a 16 de novembro em Luanda

O Tribunal Provincial de Luanda começa a julgar a 16 de novembro os 17 ativistas acusados de prepararem uma rebelião e um atentado contra o Presidente angolano, informou hoje a defesa dos arguidos.

Segundo o Público, Machete e o seu homólogo angolano discutiram a situação de Luaty Beirão 24 horas depois de o activista ter iniciado a greve de fome.

O julgamento dos activistas acusados de rebelião e de terem preparado um atentado contra Eduardo dos Santos foi marcado para 16 de Novembro, noticia o jornal Público, que escreve que esta marcação está a ser interpretada como um "sinal de abertura" pela defesa dos arguidos. 

O advogado Luís Nascimento confirmou à Lusa ter sido notificado esta segunda-feira do despacho de pronúncia e das sessões do julgamento, que vão decorrer até 20 de Novembro, no principal tribunal de Luanda.

O Público escreve ainda que a situação de Luaty Beirão foi abordada num encontro, em 22 de Setembro, entre o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete e o seu homólogo angolano Georges Chikoti, 24 horas depois do início da greve de fome do activista luso-angolano.

"Já anteriormente, antes da situação dos 15 cidadãos ter ganho relevância mediática após a detenção em 20 de Junho, a diplomacia portuguesa tinha realizado diligências junto das autoridades de Luanda", refere o jornal, segundo o qual o encontro dos chefes da diplomacia dos dois países decorreu em Nova Iorque, à margem da sessão da Assembleia Geral comemorativa do 70.º aniversário das Nações Unidas.

À reunião de Nova Iorque, sucederam-se, nos últimos dias, os encontros sob a égide do representante da UE em Luanda com Rui Mangueira, ministro da Justiça de Angola, e um alto responsável do executivo angolano, escreve ainda o Público, acrescentando que nesta reunião estiveram presentes diplomatas de Portugal, Reino Unido, Espanha e Suécia.

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up