Quarta, 15 de Julho de 2020
Follow Us

Terça, 05 Novembro 2013 16:04

Soltem o Nito Alves

O jovem adolescente de 17 anos idade, Nito Alves O jovem adolescente de 17 anos idade, Nito Alves

Ao contrário dos terroristas da UNITA que  foram enquadrados  à sociedade fazendo-se  o uso de uma anistia para lá de criminosa. O jovem adolescente de 17 anos idade, Nito Alves, não precisa de anistia, nem de  uma mão benevolente  disposta  a fazer favor ao mesmo por algo que ele tem de direito; primeiro, por ser menor de idade e livre de se expressar como quiser.

Ele só precisa mesmo de que  o bom senso seja  posto em funcionamento, na falta de uma lei que proibi que menores de idade  sejam  encarcerados  como  delinquentes comum.

Além disso, Nito Alves  é  um preso de consciência ou ainda preso político; o que para a idade dele  é um verdadeiro exemplo para essa juventude que aí está; principalmente, para os 3 mil que apareceram a bajular numa conferência que até hoje todo mundo já esqueceu! As ações de protesto de Nito Alves  serão recordadas por  todos nós  por muito tempo, será o tumor inicial  do câncer da corrupção!

Com o exemplo do Nito Alves, os corruptos do MPLA, a partir de  agora não dormirão  mais em paz ou sossegados, vão passar a sofrer de sonambulismo, o sono será superficial  em estado de vigília.

Toda maldade, e entre elas a corrupção, transforma   pequenos gestos, até  quando forem  de crianças, em gestos heroicos. E o que os corruptos do MPLA não queriam nunca é perderem este protagonismo, o de quererem a continuar a serem os eternos heróis da nação.

Um menino de 17 anos, de maneira arrojada e destemida, no momento em que a nação precisa dos heróis anticorrupção, consegue chamar atenção a opinião pública, talvez, amanhã chame atenção ao mundo inteiro. Ele pelo menos está provando a todos os cidadãos angolanos  que o ditador José Eduardo dos Santos é um ser humano que pode ser contestado.

Mais exemplos do que isso, numa Angola necessitada  de heróis e mártires, não poderiam existir. É falácia dizer que Nito Alves atentou contra paz. Se atentasse contra paz teria se imolado contra a guarda Presidencial, esperaria  que  a coluna Presidencial  passasse  por uma das Estradas de Luanda e se lançaria  contra ela em desespero a tudo o que aí  existe de maldade.

Nito Alves não fez isso, usou  uma camisola, escreveu os dizeres que assim quis para condenar o corrupto, um delinquente, transformado em poderoso  e presidente do país, que poucas pessoas têm coragem de contestá-lo.

O rapaz é um herói sim! E precisa ser preservado como  tal. Ágora,  é preciso não deixar que o MPLA e a máquina propagandista corrupta  a favor de José Eduardo dos Santos o  diabolize, transforme  o nosso “heroizinho”  num produto descartável.

A máfia partidária e corrupta que governa o país já deve ter percebido que os efeitos da corrupção provocam  indignação  até às crianças; só falta fazer entender  àquele poder que criança ou adolescentes   tem direito a liberdade absoluta de pensamento.

Não importa por que motivo os perseguidos e os aprisionados  contra corrupção sejam vítimas  do Partido que está no poder e do Governo  corrupto; o que interessa é  o nível a que chegamos. Este nível está em que o MPLA dirigido por José Eduardo dos Santos perdeu interesse como partido político. Se até crianças são encarceradas  por motivos que numa democracia são considerados fúteis ( de criticar e condenar o Presidente da República), quem mais de nós vai acreditar que vive numa democracia? Os bajuladores das redes sociais  ou os agitadores dos comícios dirigido por um líder que mal sabe fazer um discurso, a uma classe e gente que ele mesmo diz  que agora não é de interesse para  o Estado?

Soltem o rapaz!  Ele talvez  seja a reencarnação daqueles que no passado foram torturados  e  fuzilados sem  direito a nenhum processo legal.

Ele é a prova evidente de um país com cidadãos cansados, não só por uma guerra que já passou e até hoje se usa como justificativa de todos os males,  mas também a prova da corrupção, e de que homens e mulheres neste  país vivem do medo e de ameaças; ameaças espelhadas num passado de guerra.

O cansaço dos mais velhos e até a possível covardia destes  não pode ser visto como a aceitação do desrespeito governamental ; não pode ser visto como legitimidade para se governar a revelia  dos valores que a democracia exige.

A pergunta é, vão fazer o que com o Nito Alves? Matá-lo, prendê-lo até quando?

Nito Alves é espinha na garganta  deste poder surdo, mudo  e cego; que quando põe em funcionamento estas funções  só servem para lidar com  o roubo, a desordem, o desrespeito  a nação  e a pátria.  

Nelo de Carvalho

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up