Quinta, 02 de Julho de 2020
Follow Us

Quarta, 01 Abril 2020 16:41

Covid -19: o uso de máscara é obrigatório

A luta entre as medidas de biossegurança impostas pela OMS e as medidas de biosseguranças adoptadas pelo corpo clínico de cada País na Europa, parece não perder a voz. A verdade é que a arma biológica mais letal que a humanidade já sentiu o seu rumor não tem piedade de ninguém, as suas vítimas são meios que contribuem para espalhar a sua raiva até aos confins da terra.

A verdade é que a humanidade tem um inimigo comum chamado COVID – 19, todos em uníssono reuniram – se na mesma causa tentando recuar o drama vulcánico desenvolvido em torno da carnificina causada pela COVID – 19. Resta ao universo um único meio de recurso para apagar a chama acesa pela COVID – 19 que leva o tempo todo à queimar vidas como se fosse seres colocados à queimar num inferno. Mas na verdade, é em torno destes meios de biossegurança que lançamos a nossa visão, quem são os que devem usar desde logo máscaras para a protecção contra a COVID – 19?

As medidas gerais impostas pela OMS no que concerne a protecção contra a COVID – 19 incluem:

Lavar as mãos com água e sabão ou desinfectar as mãos com álcool em gel, não utilizar o álcool puro a 70 ou 90% utilizado para a desinfecção de objecto. Utilizar o álcool em gel, porém, a desinfecção das mãos com álcool em gel só tem utilidade caso não haja meios de lavagem das mãos com água e sabão. A lavagem das mãos é a medida de biossegurança mais importante. A desinfecção das mãos com álcool em gel não substitui a lavagem das mãos com água e sabão. Depois da utilização de pelo menos 3 à 4 vezes do alcool em gel, deve imediatamente lavar as mãos com água a sabão;

Mantenha pelo menos 1 metro de distância entre as pessoas que nãos as conhece, tendo em conta que existem portadores assintomáticos. Não é necessário que alguém esteja a tossir ou a espirrar para que a distância seja imposta, desde que seja alguém que não o conheça mantenha uma distância de pelo menos 1 metro. Quando alguém tosse ou espirra, dissemina pequenas gotículas líquidas do nariz ou da boca para a atmosfera, que podem conter vírus e contaminar quem estiver próximo, ao falar, sem perceber o indivíduo emite micro – gotículas que podem infectar quem estiver por perto. Se você estiver muito próximo, poderá inspirar as gotículas – inclusive do vírus da COVID-19 se a pessoa que tossir for um doente sintomático, ou as vezes assintomáticos;

Evite tocar nos olhos, nariz e boca. As mãos tocam muitas superfícies e podem ser infectadas por vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz ou boca. A partir daí, o vírus pode entrar no corpo da pessoa e deixá-la doente;

Deve cobrir a boca e o nariz com a parte interna do cotovelo ou lenço quando tossir ou espirrar (em seguida, descarte o lenço usado imediatamente). Gotículas espalham vírus;

Fique em casa (isolamento social e distância social);

Caso não esteja a sentir – se bem, ou esteja a sentir febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico;

Por fim, queremos na verdade perceber quem deve e quem não deve utilizar máscaras, no âmbito da utiliação dos EPI. As máscaras tornaram – se numa grande controversia no âmbito do combate à COVID – 19. A corrida não para em tentar perceber qual a utilidade da máscara segundo variadas autoridades sanitárias do mundo, é neste túne a que nós hoje mergulhamos. Segundo George Gao, o homem que esteve ao longo dos últimos meses de forma exaustiva na linha da frente do combate à Covid-19, também diretor-geral do Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças da China, tendo feito parte da equipa que isolou e sequenciou, em primeiro lugar, o genoma do novo coronavírus e integra o grupo de cientistas que forneceu dados à Organização Mundial da Saúde sobre a doença, de modo a que fosse desenhada uma estratégia para responder à pandemia, afirma que o uso de máscara é obrigatório para todos, tanto sãos quanto doentes, Gao afirma que a COVID – 19, é um inimigo invisível, e existem variados portadores assintomáticos, ao falarmos expelimos gotículas contaminadas pelo vírus pelo que, deve – se fazer o uso de máscara de forma obrigatória, para todos, quer estejam ou não doentes, todos devem usar máscaras. George Gao é um médico chinês, doutor em imunologia, quando questionado sobre quais os erros estavam a ser cometidos pelos países ocidentais, Gao, não tardou por responder:

“O maior erro nos Estados Unidos e na Europa, na minha opinião, é que as pessoas não estão a usar máscaras. Este vírus é transmitido através de gotículas e pelo contacto de proximidade (...) pelo que se deve usar máscara, porque quando se fala, há sempre gotas que saem da boca. Como muitas pessoas têm infecções assintomáticas ou pré-sintomáticas, se usarem máscara, isso consegue evitar que as gotículas que transportam o vírus escapem e infectem os outros.”

Para o imunologista chinês, o isolamento social constitui – se numa estratégia fulcral no combate a COVID – 19, para p controlo de qualquer enfermidade, especialmente a COVID – 19. Para a OMS e as autoridades portuguesas, a máscara deve ser utilizada apenas pelos doentes e pelos profissionais de saúde. A Direcção Geral da Saúde, em Portugal, alega que, o uso de máscara por quem não tem a doença dá a sensação de falsa segurança. Para as autoridades portuguesas a máscara pode induzir sensação de uma falsa segurança, e o risco acrescido de contrair o vírus ao manusear os tecidos do equipamento de protecção individual. As autoridades portuguesas afirmam também não haver máscara para cobrir toda população.

Mas as evidências falam mais alto que as teorias, os EUA e a Europa cumprem as recomendações da OMS onde a utilização da máscara está apenas destinada a pacientes e profissionais. Ao passo que os chineses impuseram o uso de máscara para todos sem excepção. A China conseguiu conter a doença, mas a Europa não consegue conter.

CONCLUSÃO:

A teoria mais aceite é a teoria chinesa segundo a qual todos devem usar máscara não interessando o estado de saúde. A teoria da OMS não tem estado a dar bons resultados, nos países em que ficou aplicada a taxa de infecção tornou – se bastante elevada. Basta vermos o que se passa na Itália, Espanha e EUA, para provar como a OMS falhou na implementação de máscaras para as pessoas.

Bem – haja!

João Hungulo: Mestre em Filosofia Política & Pesquisador

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up