Sábado, 10 de Abril de 2021
Follow Us

Quarta, 07 Abril 2021 18:22

Actual situação, difícil caótica, de Angola, requere profunda reflexão, de todos angolanos

Desde sua da Independência, dos colonialistas Portugueses, a República de Angola, tem sido teimosamente, governada, por um único partido político, o Movimento Popular de Libertação de Angola, (MPLA) de cuja (des)governação.

Hoje se traduziu, no emergir, de amontoadas, de toneladas de lixo, especial/particularmente, na capital Angolana, Luanda, Cidade onde se concentram, mais de oito milhões, de habitantes, despidos das mínimas, condições de habitabilidade, razão pela qual, hoje sob batuta do general, João Lourenço, presidente de Angola, o homem menos inteligente, imposto aos povos de Angola, por culpa do ex-presidente, presentemente, em fuga à toa, cá fora, José Eduardo dos Santos (JES).

Na verdade, o lixo regado pela administração, da bárbara, governadora, de Luanda, dos do MPLA, Sra. Joana Lina Ramos Baptista Cândido, não apenas representa, o verdadeiro cartão de visitas, da gritante e brutal, ignorância, ou incompetência, do regime do general João Lourenço, ao mesmo tempo, também, que este lixo, demonstra exatamente, o estado da lixeira, ou  da porca governação, do regime de Luanda, instalado ali no bairro do Casuno, que curiosamente, coincide, com o Casuno dos marimbondos do MPLA, de João Lourenço.

Logo, se é verdade que os nossos alertas, fizeram agora despertar os do MPLA, razão pela qual, os camaradas, agora já começaram, a socapa, ou em surdina, cogitar, enviar o general, João do Lobito, para o olho da rua, tal como o velho verde, de Santos, no passado congresso, dos camaradas, teve a mesma sorte, sendo que na verdade, o general do João Lourenço, nunca herdou os do MPLA, e muito menos o MPLA, do falecido pai dele Cerqueira Lourenço.

Porém, cogitar em um miúdo, arrogante, como Adão de Almeida, como futura cabeça de lista, dos do MPLA, a ser indicado, no congresso a ter lugar em dezembro, próximo, na minha opinião, constitui, uma ofensa, não apenas, aos pensantes do MPLA, se não de todos patriotas, que representam, o clube, da comunidade de inteligência dos povos de Angola.

 Na verdade, eu, gostaria de acreditar, que os do MPLA, deveriam deixar para o passado da história, as suas habituais improvisações, do ponto de vista, das suas lideranças, que sempre foram constituídas, por velhacos, ou gente pouco letrada, simples intriguistas, fofoqueiros, e apostar em autênticos tecnocrátastal como faz por exemplo a UNITA, se o partido dos camaradas, desejar ser uma oposição, firme e forte, contra o eventual governo, do futuro presidente de Angola, Engenheiro, Adalberto da Costa Júnior líder da UNITA.

É necessário, que os do MPLA, saibam de uma vez, por todas, de que o fenómeno de grupos de Catete, de Luanda, ou de grupos do centro, sul ou Norte de Angola, foi exatamente o fenómeno de grupos, tribais, rácicos, ou xenófobos, que levou o Sanzapombence, do Lucas N, Bengny N, gonda, a reduzir, o partido histórico da FNLA, em apenas um deputado.

Deputado esse, que se chama N,gonda, razão pela qual, o mano N,gonda, poderia correr o risco de ser obrigado a  enterrar, lá cemitério do Camama, a FNLA, pelos do MPLA, conforme for, numa campa, não muito distante, da sepultura onde foi enterrado, o Maka Angola, do jovem Rafael Marques de Morais, e, onde o bravo do general Higino Lopes Carneiro, também, estaria prestes a enterrar, ou já teria sepultado, a luta contra a corrupção do general do João Lourenço.

Por isso, patriotas do MPLA, como o Dr. Marcolino Moco, Álvaro Manuel de Boa Vida Neto, Ruí Falcão Pinto de Andrade, entre outros, são tecnocratas, que me parecem, que constituiriam, uma boa opção, como cabeça de lista, para os do MPLA, com vista a fiscalizarem, o eventual governo do presidente, Costa, líder da UNITA, que poderia emergir no ano que vem, em Angola, sempre e quando os do MPLA, desejem abraçar o processo democrático, na República de Angola.

Os do MPLA, tem de se adaptar aos novos tempos, se, os líderes do MPLA, quiserem manter a chama vida do partido dos camaradas.

Razão pela qual, toda comunidade de inteligência, dos povos de Angola, deveria refletir com vista ao nascimento, bem sucedido da nossa democracia em Angola.

Que Deus, abençoe Angola e a todos os Angolanos

Por Orlando Fonseca, Dania Beach, Norte de Miami, no sul da Flórida USA

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up