Sábado, 15 de Junho de 2024
Follow Us

Quinta, 16 Mai 2024 11:57

Não recebemos participação da UNITA na CIVICOP e até ao momento não foi formalizada a sua saída

O Ministro da Justiça e Direitos Humanos, afirmou em Luanda que a UNITA não tem colaborado com CIVICOP, na localização das pessoas vítimas da guerra em Angola. Segundo o Ministro Marcy Lopes, a falta de colaboração do partido UNITA, obriga o governo a apostar em mais recursos técnicos e pessoal, tornando o processo mais difícil.

Marcy Lopes diz que desde que a UNITA decidiu abandonar a CIVICOP, até hoje não apresentou um pedido formal a esse propósito.

Ministro da Justiça e Direitos Humanos, mostrou-se disponível para trabalhar com todas as forças políticas do país, tendo sublinhado que com o apoio das partes envolvidas, o trabalho "seria muito mais facilitado e, neste caso, implicaria menos recursos em meios técnicos, equipamentos e pessoas para a localização dos lugares onde as vítimas foram sepultadas”.

Marcy Lopes lembrou ainda que, no âmbito das competências da Comissão, a organização vai continuar a identificar os restos mortais de compatriotas para se poder dignificá-los, dando-lhes "um repouso digno, assim como também para serenar os ânimos da sociedade".

"Obviamente que é um trabalho árduo. Leva tempo e as pessoas têm de ter paciência, não apenas a nossa sociedade em geral, mas também as famílias. Queremos alcançar o máximo de resultados positivos e satisfatórios. No entanto, teremos todo o prazer de fazer a apresentação destes resultados após a devida confirmação pelo laboratório de criminalística de que aqueles restos mortais pertencem a uma determinada pessoa, isso depois da correspondência de DNA com a respectiva família”, disse.

Apenas após este resultado positivo, continuou, é feita a entrega dos restos mortais à família e, consequentemente, trabalhar para que as pessoas tenham um funeral com o DNA confirmado.

Ontem, a Comissão de Reconciliação em Memória das Vítimas de Conflitos Políticos (CIVICOP) homenageou com honras militares, no Estado-Maior General do Exército (ex-R20), o general "Begin", que faleceu a 10 de Dezembro de 1999, vítima de doença, no município do Cuemba, província do Bié, num contexto de conflito em Angola. Na ocasião, o coordenador da  CIVICOP, Marcy Lopes, referiu que era importante realizar esta homenagem "a um filho da pátria", que, "infelizmente", faleceu num0 conflito armado que o país viveu durante algum tempo e, por consequência, "recordado por todos".

Rate this item
(0 votes)