Segunda, 22 de Julho de 2024
Follow Us

Quinta, 02 Mai 2024 17:30

Queixas contra bancos angolanos subiram quase 12% em 2023

Angola registou no ano passado 29.133 reclamações contra os bancos, uma variação homóloga de cerca de 12%, tendo como principal alvo as caixas automáticas e terminais de pagamento automático (TPA).

Os dados constam no relatório anual do Banco Nacional de Angola (BNA) que justifica o incremente de reclamações com a maior consciencialização dos consumidores angolanos face aos seus direitos.

Do total de reclamações, 91% processos foram já concluídos, estando os restantes em análise.

Entre as matérias mais reclamadas estão as caixas automáticas (STM) e os TPA, que concentram 22% das queixas, motivadas por não disponibilização de numerário por tempo excedido ou notas não retiradas, anomalias ou falhas de comunicação com a rede prestadora de serviços e extratos ou informações divergentes dos saldo na conta, negligência na utilização dos elementos de segurança dos cartões e suspeição de fraudes.

Logo a seguir surgem as questões relacionadas com os cartões de débito, com 21% do total dos consumidores a queixarem-se de morosidade na ativação e operações não efectuadas/reconhecidas por inoperância dos cartões de débito da rede Multicaixa.

As contas de depósitos à ordem registaram 13% de reclamações motivadas por movimentação indevida de contas, morosidade na operação por instabilidades nos sistemas, não entrega de extratos ou divergência de saldos, bloqueio indevido de contas e montantes cativos por instrução dos tribunais.

Seguem-se no ‘ranking’ das dez principais reclamações a prestação de serviços (11%), Internet Banking, crédito ao consumo, transferências e Mobile Banking (serviços bancários por telemóvel), com aproximadamente 5% de queixas, cartões pré-pagos e contas-ordenado, com cerca de 3% e 2% do total, respetivamente.

Rate this item
(0 votes)