Sexta, 30 de Outubro de 2020
Follow Us

Domingo, 15 Março 2020 12:48

Resultados de cinco casos suspeitos de coronavírus deram negativos

Os exames dos cinco cidadãos suspeitos de contrair o novo Coronavíros (Covid - 19) deram negativos, mantendo Angola imune de qualquer caso, desde o início do surto na China, em Dezembro de 2019, informou hoje o secretário de Estado da Saúde Pública, Franco Mufinda.

Falando em conferência de imprensa, o respnsável especificou que, do grupo, dois são angolanos, um português, outro luso-angolano e um francês, sendo que desde o dia 26 Fevereiro até ao momento foram rastreados e testados 104 cidadãos, todos livres do Covid – 19.

“Entre outros, estes cinco últimos suspeitos foram testados cá no país. E dos angolanos, um é do sexo masculino (41 anos de idade) e um do feminino (47). Os outros três são homens, tendo o luso-angolano 46 anos, o francês 55 e o português 59”, descreveu.

Franco Mufinda esclareceu que se consideram casos suspeitos todos os cidadãos provenientes de países infectados e/ou afectados e que no momento do rastreio (nas fronteiras) apresentam sintomas dessa pandemia, entre os quais tosse, gripe, febre e dificuldade respiratória.

O secretário de Estado para a Área da Saúde Pública sublinhou que à entrada, via marítima, terrestre ou aérea, as pessoas sem quaisquer sintomas são liberadas, podendo ir directamente a casa, desde que não provenham da China, Itália, Irão e Coreia do Sul, países "vetados" por Angola.

Na ocasião, deu a conhecer que no sábado (dia 14) foram liberados 31 cidadãos, entre angolanos e chineses, de um total de 57 “acantonados” no Centro de Quarentena do Calumbo.

Desde que se despoletou, em Dezembro último, o novo Coronavírus (Covid – 19) já provocou mais de 4.900 mortes e infectou cerca de 131 mil pessoas em centena de países e territórios, daí que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou-a de pandemia.

Angola continua sem registo de caso positivo da pandemia, enquanto a RDC, Côte d'Ivoire, Camarões, Senegal, Togo, Egipto, Tunísia, Argélia, Marrocos, Burkina Faso, Nigéria, África do Sul, Gabão, Etiópia, Quénia, Rwanda, Namíbia e Mauritânia são os países africanos afectados.

Rate this item
(2 votes)

Log in or Sign up