Sexta, 19 de Agosto de 2022
Follow Us

Segunda, 25 Abril 2022 10:42

Cabinda e Benguela: João Lourenço e Adalberto ensaiam “duelo” de Agosto junto do eleitorado

A deslocação do Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, à província de Cabinda, de 21 a 23 do corrente mês, é vista por diversas franjas da opinião pública como um precioso ponto obtido pelo MPLA.

Igualmente, na mesma semana, o líder da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, realizou uma visita à Benguela onde, com um discurso apaziguador galvanizou as massas populares. O “duelo” entre os dois maiores contendores actuais da política nacional promete episódios bastante marcantes

Enquanto o Presidente da República, João Lourenço, efectuou mais uma deslocação, desta feita à Cabinda, onde mostrou e destacou as realizações do Executivo em quatro anos, aproveitando para orientar uma grande actividade de massas, o seu arquirrival, Adalberto da Costa Júnior foi à Benguela, levando uma mensagem apaziguadora, e apelou a não violência, interagiu abertamente com os cidadãos, deixou-se fotografar por e com eles, incutindo esperança na prosperidade e em dias melhores.

As actividades dos dois líderes, pela grande movimentação de massas, mostraram bem quão renhida será a disputa eleitoral, que se pretende que seja realizada com urbanidade, com tolerância, harmonia e paz, em prol de Angola e dos angolanos.

Em Cabinda, os habitantes daquela parcela do território nacional, representados pelo público que esteve presente no estádio do Tafe, aplaudiram o Presidente do MPLA, João Lourenço, que ao longo dos quatro anos de governação do Executivo, suportado pelo seu partido, construiu e reconstruiu várias infra-estruturas que deram um novo impulso ao desenvolvimento do país, com destaque para as que foram construídas na sua província.

Diante de uma multidão eufórica, apesar do intenso calor que se fazia sentir, João Lourenço destacou, em concreto, as infra-estruturas construídas nos sectores da educação e da saúde, que permitiram a criação de mais postos de trabalho.

A construção de 79 unidades hospitalares, completamente apetrechadas, de categorias I, II e III, com capacidade para 32 mil 619 camas de internamento, incluindo 12 centralidades, assim como a criação do primeiro parque de painéis solares (de 2.590 mega watts), na província de Benguela, foram ressaltadas pelo Chefe de Estado, que também fez uma incursão na execução do Programa de Investimento Público (PIP) e do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

O último, conta com 2.768 projectos, 473 dos quais já foram concluídos.

Entre diversos assuntos abordados, o líder dos camaradas, falando das eleições gerais de Agosto, alertou a oposição para que se preparem para não chorar depois pelo “leite derramado”.

"Os partidos políticos que se preparem, nós estamos a preparar-nos, fizemos um primeiro treino para o jogo na cidade de Ondjiva (Cunene) e continuamos a treinar aqui em Cabinda. Quem não está a preparar-se que não diga depois que quem ganhou, ganhou por que o árbitro facilitou. Os árbitros não marcam golo, quem marca golo são os jogadores, se o jogador não marca golo, o arbitro não pode inventar", disse ao finalizar.

A visita à Cabinda, anunciada como de trabalho, tinha em agenda, entre outras acções governativas, a inauguração do novo hospital geral local, uma infra-estrutura moderna com equipamentos de ponta.

A viagem do Presidente da República ao enclave deveria ter acontecido em Agosto de 2021, porém devido a um clima desfavorável por causa de alegados incumprimentos que fizeram com que obras de impacto social, tanto prometidas às populações locais, não tivessem sido construídas e/ou concluídas, obrigaram a um recuo.

Segundo competentes analistas do cenário político angolano, o MPLA, encabeçado por João Lourenço, cabeça-de-lista às eleições gerais, já começou a “grande cruzada” que visa, antes de mais, construir uma imagem sem máculas, para convencer o eleitorado e conquistar o seu voto.

Adalberto recebe um “banho” de popularidade

Enquanto isso, Adalberto Costa Júnior, líder da UNITA, que realizou uma visita privada a Benguela, foi recebido por uma multidão entusiasmada, sendo interpelado por diversos populares que o saudavam e faziam fotografias.

O presidente da UNITA transmitiu uma mensagem de paz e apelou para a não violência e a uma convivência pacífica entre angolanos.

Apesar de apontar sinais de instabilidade pelo país, Adalberto revelou na quarta-feira (20), que o seu partido não pode cair em “armadilhas orquestradas pelo MPLA no sentido de criar em Angola um ambiente de violência e instabilidade, capaz de dificultar o andamento de um processo eleitoral ainda sem garantias de transparência”.

Para Adalberto Costa Júnior, o programa inclusivo do seu partido tem condições para triunfar, assinalando que conta com os angolanos para o fim de um ciclo de governação com mais de 45 anos.

Ante o “banho” de popularidade ao presidente da UNITA em Benguela, conhecido como um bastião do “Galo Negro”, analistas locais referem que “o MPLA denota estar determinado a manter-se no poder a todo o custo.

O princípio da alternância democrática tem fraco cabimento na cultura política dos seus dirigentes, que estão convictos que o regime dispõe de amplas vantagens para se sobrepor à oposição e à vontade do povo, entre as quais o controlo hegemónico do Estado”.

Em sua opinião, a campanha de descrédito que o regime tem promovido contra o líder da UNITA está a ter um efeito contrário, porquanto, em vez de repúdio, como o regime esperava, passou a favorecer Adalberto Costa Júnior, fazendo com que aumente a sua popularidade em todos sentidos. NMC

Rate this item
(0 votes)