Quarta, 03 de Março de 2021
Follow Us

Segunda, 18 Janeiro 2021 13:29

Novo secretário da UNITA em Benguela aponta a recuperação do património como prioridade

O deputado Adriano Sapiñala é o novo secretário provincial da UNITA em Benguela, substituindo no cargo Abílio Kaunda, que vai ocupar a função de secretário nacional adjunto para mobilização

Em entrevista a OPAÍS, Adriano Sapiñala , de 43 anos, traçou as suas linhas de força, que passam pela mobilização e recuperação do património do partido em Benguela.

O presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, apostou em Adriano Sapiñala para ombrear com Rui Falcão, a quem o partido do “galo negro” considera um autêntico “animal político”.

O novo secretário está consciente das suas responsabilidades, sendo que Benguela é uma praça eleitoral importante para a sua força política, e salienta que o seu maior adversário político, o MPLA, terá muitos desafios pela frente, porquanto, segundo sustenta, a sua missão em Benguela é garantir vitória à UNITA em 2022.

O jovem político lembra que a sua agremiação política definiu 2021 como sendo o ano da mobilização dos patriotas, tendo em vista a alternância do poder, pelo que conta com ele para esta empreitada na província de Benguela.

“Nesse contexto, fomos nós indicados a nível de Benguela pelo conhecimento que temos em relação à província, com algum alívio, por um lado, e com humildade para podermos fazer o nosso trabalho”, disse.

A OPAÍS, o político disse haver vários elementos favoráveis à UNITA para a materialização de uma possível vitória, a começar pela componente histórica que, em certa medida, lhe vão ajudar a implementar a pretensão da direcção do partido.

“Desde a conjuntura social e não só, e até a questões históricas mesmo (…) A missão que o partido nos deu é esta, pois tem quadros capazes na província de Benguela que nos vão ajudar a fazer o trabalho”, revelou.

Para atingir os objectivos preconizados, espera contar com o envolvimento de todas as forças vivas do partido, membros da sociedade civil e jornalistas. Adriano Sapiñala prefere não pensar num possível duelo político com Rui Falcão, governador e primeiro secretário do MPLA em Benguela, como vários segmentos sociais preveem, embora considere ingrata a posição do político, por ser gestor de fundos públicos.

“Somos todos angolanos, ele é governador provincial e a UNITA é actor social. Somos parceiros, neste aspecto, e vamos ter aí a nossa cordialidade presente”, garante. O também deputado pelo círculo eleitoral do Cuando Cubango argumenta que o mais importante vai ser desempenhar com brio a função a si confiada, a julgar pelos grandes desafios políticos que se avizinham, designadamente, as eleições gerais, em 2022.

Conforme previsão constitucional, Angola prevê realizar as eleições gerais no próximo ano, sendo que a institucionalização das eleições autárquicas está condicionada à aprovação, pela Assembleia Nacional, do pacote legislativo autárquico, para, em seguida, serem convocadas pelo Presidente da República.

Recuperação de imóveis

Segundo Adriano Sapinãla, uma das tarefas de que se vai, igualmente, ocupar, durante o seu consulado, tem a ver com a recuperação do património imobiliário perdido, maioritariamente no município do Lobito, com destaque para a sede do secretariado local e o hotel Grão Tosco.

Entretanto, recusou-se a avançar mais pormenores sobre a estratégia que tem definida para reaver este património, sublinhando que não se deve “revelar tudo, como se deve compreender”. Antes da sua nomeação, o político desempenhava, na província do Cuando Cubango, a função de secretário provincial da UNITA e, em 2017, em consequência das eleições gerais, foi eleito deputado à Assembleia Nacional. OPAIS

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up