Sábado, 10 de Dezembro de 2022
Follow Us
Destaques

Destaques (91)

O ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos não deixou testamento, dificultando a tarefa da justiça espanhola na batalha legal que envolve Governo e a família, disse à Lusa fonte próxima do processo.

Os filhos mais velhos do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos, alguns dos quais na mira da justiça, defendem uma lei de amnistia geral e o “fim dos processos judiciais e institucionais contra muitos angolanos”.

O governo angolano, liderado pelo presidente do MPLA, João Manuel Gonçalves Lourenço, confiscou em 2017 minas de diamante, da alegada filha do antigo presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, uma cidadã de nacionalidade congolesa que reapareceu, agora ao público, em consequência da morte do ex-estadista, ocorrida aos 08 de Julho, em Barcelona, por doença.

O Governo angolano contratou um escritório de advogados para apoiar o processo judicial da viúva de José Eduardo dos Santos no pedido em tribunal da guarda do corpo do ex-Presidente de Angola, que morreu na sexta-feira em Barcelona.

A Unidade de Informação Financeira (UIF) angolana decretou o bloqueio de 31 operações suspeitas de branqueamento de capitais no valor global de 102,5 mil milhões de kwanzas (232 milhões de euros) e 4,2 mil milhões de euros, em 2021.

Em comunicado, a equipa de advogados da filha de José Eduardo dos Santos apresenta as "evidências" que demonstram o modo negligente como o pai foi tratado nos últimos meses pela mulher, Ana Paula, acusando-a ainda de impor a sua presença quando o antigo presidente já estava bastante doente

O ministro da Administração do Território de Angola anunciou hoje que o governo está a criar locais públicos para que se possa render homenagem ao ex-Presidente, José Eduardo dos Santos, falecido na sexta-feira, em Espanha.

A filha do antigo presidente de Angola Tchizé dos Santos acusou hoje o atual chefe de Estado angolano de estar a tentar sobrepor-se à família, ao divulgar a morte de José Eduardo dos Santos e anunciar preparativos fúnebres.

O Presidente angolano, João Lourenço, disse hoje que o Governo vai organizar as exéquias fúnebres do ex-chefe de Estado José Eduardo dos Santos, para as quais conta com a presença de todos, incluindo a família "que está lá fora".

A advogada que representa Tchizé dos Santos disse hoje que o antigo Presidente angolano não queria ser enterrado em Angola para evitar um aproveitamento político da cerimónia e porque os filhos não podem entrar no país.

Página 5 de 7