Quarta, 05 de Agosto de 2020
Follow Us

Sábado, 04 Julho 2020 22:27

Aumentam protestos silenciosos contra João Lourenço

O Presidente do MPLA, João Lourenço, criticou esta terça-feira, 30, os supostos discursos políticos baseados “na mentira” e no “insulto verbal” afirmando que existe hoje um vasto “leque de oportunidades de diálogo” para os líderes partidários se exprimirem.

Entretanto, a nível das redes sociais, nota-se o crescer de publicações com caricaturas contra o presidente da República, General João Lourenço. A mais recente é um panfleto do Presidente da República atirado para uma sanita.

Segundo alguns activistas em Luanda a situação social continua crítica e que discursos de Lourenço são bonitos no papel. João Lourenço defendeu na abertura da reunião do Bureau Político do MPLA, que as autoridades não vão interferir no andamento da justiça e que não haverá qualquer negociação interna para acabar com o combate a corrupção.

“Nao deve o poder politico interferir na justiça colocando em causa a independência dos tribunais depois de ganhos obtidos pelo país, o MPLA está proibido de passar mensagem desecorajadoras”, disse Lourenço na reunião daquele órgão do partido no poder que fez uma análise da situação económica de Angola.

Leitura diferente tem o jurista Salvador Freire, presidente associação Mãos Livres qie alerta para a existência na prática de interferência no sistema de justiça, mas aplaude a ideia de João Lourenço em não mais interferir na justiça.

Para o jurista Pedro Kaprakata entende que a interferência do poder político na justiça começa logo na indicação dos juizes e por isso não acredita nas declarações do presidente do MPLA.  O Decreto

Rate this item
(2 votes)

Log in or Sign up