Sábado, 19 de Outubro de 2019
Follow Us

Terça, 17 Setembro 2019 18:22

Raul Danda na luta pela presidência da UNITA

Como era previsto, o cenário em que, caso o actual presidente da UNITA, Isaías Samakuva, evitasse o quinto mandato, haveria vários candidatos, sendo que nesta altura já são quatro intenções, o Vanguarda sabe que o vice-presidente do partido, Raul Danda, vai formalizar candidatura a qualquer momento.

Depois de Alcides Sakala, que já encontrou na fila dos candidatos o antigo secretário-geral da UNITA, Abílio Kamalata Numa, os actuais presidente e vice-presidente do Grupo Parlamentar, Adalberto Costa Júnior e José Pedro Katchiungo, respectivamente, apesar de ainda não a terem formalizado, agora a presidência da UNITA terá igualmente Raul Danda na corrida.

A presença de Raul Danda entre os candidatos durante o XIII congresso, que acontece de 13 a 15 de Novembro próximo, afigura-se como um teste à capacidade da UNITA, em lidar com figuras com origem fora da etnia ovumbundu, pela primeira vez na sua história, face aos rumores segundo os quais somente figuras provenientes desta etnia, particularmente do Bié, é que podem chegar ao cargo de presidente. A sociedade angolana irá igualmente testar até que ponto a UNITA contraria este mito.

Enquanto isso, saliente-se, até ao momento, somente membros de origem ovimbundu têm concorrido, apesar de as candidaturas serem de livre iniciativa. Em 2003, Isaías Samakuva concorreu com o deputado Paulo Lukamba Gato e Dinho Tchingunji, em 2007 teve como adversário Abel Chivukuvuku. Em 2011, Isaías teve pela frente José Pedro Katchiungo, sendo que em 2015 disputou a presidência contra Abílio Kamalata Nume Paulo Lukamba Gato. Alcides Sakala, Adalberto Costa Júnior, José Pedro Katchiungo são naturais do Huambo, e Abílio Kamalata Numa de Benguela.

Samakuva fora da corrida

A presença de Alcides Sakala entre os candidatos à presidência do partido, é sinal claro de que Isaías Samakuva está fora da corrida, de acordo com fonte do Vanguarda. “Só a ausência de Isaías Samakuva justifica a candidatura de Alcides Sakal”, disse fonte do Vangurda, para quem o actual porta-voz tem o apoio do presidente. Entre os motivos que levam Samakuva a evitar a candidatura está o facto de alguns sectores preverem a sua derrota, cenário que seria das piores coisas a acontecer na sua carreira. Fonte do Vanguarda avança mesmo que “quase 90% dos secretários provinciais são pela sua saída da presidência”.

Isaías Samakuva, na presidência do partido há 16 anos, continua em silêncio em relação ao seu futuro, apesar de já ter dito publicamente, e sem qualquer pressão, que não voltaria a candidatar-se. Com a abertura das candidaturas, fica no ar a expectativa sobre o que irá dizer Isaías Samakuva, que deve pronunciar-se ainda esta semana.

Rate this item
(4 votes)

Log in or Sign up