Domingo, 25 de Fevereiro de 2024
Follow Us

A morte recente e desaparecimento de garimpeiros está a preocupar os ativistas da vila mineira de Cafunfo, que denunciaram também casos de tortura e pedem a intervenção do Governo para travar a violência das empresas de segurança.

Cerca de 562 mil angolanos enfrentaram em 2020 situações de crise ou emergência alimentar, indica um relatório publicado hoje, com previsões de “riscos significativos” para a população e considerando as condições climáticas extremas como principais causas.

O arcebispo de Saurimo, José Imbamba, denunciou hoje que na região de Cafunfo e em zonas de exploração diamantífera do leste de Angola “continuam a morrer pessoas”, responsabilizando os seguranças que protegem as minas, e pediu a “salvaguarda da vida”.

Página 90 de 105