Sexta, 14 de Junho de 2024
Follow Us

Quarta, 14 Fevereiro 2024 16:45

Pai mata filha porque adoecia muito

Um cidadão, de 30 anos de idade, foi detido na província do Bengo, município do Dande, por ter cometido o crime de homicídio e sonegação de cadáver, de que é vítima a sua filha de um ano e oito meses. O acusado disse à Polícia que tirou a vida da menor porque esta adoecia muito.

O crime aconteceu na comuna do Úcua, município do Dande, província do Bengo.

O cidadão em causa, de 30 anos de idade, pai, cansado de ver a filha a adoecer, decidiu tomar esta atitude sem a conivência da mãe, aliás arrancando a menor das mãos da progenitora.

De acordo com o Serviço de Investigação Criminal no Bengo, que deteve o cidadão, recentemente, o crime de homicídio qualificado em razão da qualidade da vítima, concorrido com sonegação de cadáver, foram praticados no passado dia 5 de Fevereiro, quando o implicado saiu do bairro em que reside, em companhia de sua esposa, com destino à sede da comuna do Úcua, com o objectivo de levar a filha para a consulta médica ao hospital.

As declarações prestadas pela mãe dão conta, ao longo do percurso o implicado retirou a bebê dos braços da progenitora e a levou para o meio da mata, desconhecendo a mulher as intenções do marido.

Minutos depois, o marido regressou para a estrada ao encontro da esposa, já sem a filha de um ano e oito meses, que estava doente.

Questionado, o acusado disse-lhe que abandonou a bebé na mata e, sob ameaças, orientou a esposa que se mantivesse calada e não dissesse nada a ninguém.

Na sequência, ambos regressaram, e postos no bairro, a esposa queixouse ao coordenador da zona.

Quando interrogado, o implicado afirmou ter matado a bebé e escondido o cadáver entre ramos e folhas na mata, porque ela adoecia bastante.

O cidadão já foi presente ao Ministério Público, e conduzido ao estabelecimento Penitenciário da Caboxa.

Crescem denúncias de violência contra as crianças

Por outro lado, importa frisar que no período de 4 a 10 de Fevereiro de 2024, o Instituto Nacional da Criança-INAC, através do Serviço de Denúncia SOS – Criança, que atende pelo terminal telefónico 15015, recebeu um total de 409 denúncias de violência contra a criança em todo o país.

Das denúncias recebidas, 202 são de fuga à paternidade/disputa de guarda, 54 casos de violência física/psicológica, 48 casos de trabalho infantil, 16 casos de abuso sexual, 17 de negligência, oito casos de abandono de crianças e três de acusação de prática de feitiçaria.

Os abusos sexuais continuam a preocupar, sendo que um caso chama a atenção no balanço apresentado, que tem que ver com dois cidadãos de 60 anos de idade, respectivamente, que violaram duas crianças de 7 e 9 anos de idade, uma do sexo feminino e outra, a de 9, do sexo masculino.

O facto aconteceu na província do Namibe, tendo os idosos aliciado as crianças com guloseimas.

Os cidadãos de 60 anos de idade já foram detidos. De abusador de 60 anos de idade não é tudo, pois na província de Luanda, município do Kilamba Kiaxi, foi detido também um cidadão com a mesma idade que está a ser acusado de ter abusado sexualmente cinco crianças, suas vizinhas, com idades compreendidas entre os oito e 13 anos.

Em Viana, receberam também a denúncia de duas crianças que sofrem abusos sexuais, de sete 14 anos de idade, por parte do progenitor.

Trata-se de uma prática recorrente pelo que o suposto agressor já esteve detido e regressou ao convívio com as filhas, porém o denunciante suspeita que o mesmo continua a abusar das filhas, pois estas apresentam comportamentos estranhos.

Sobre este caso, o Gabinete Municipal da Acção Social e o SIC de Viana estão a acompanhar. OPAIS

Rate this item
(0 votes)