Quinta, 25 de Abril de 2024
Follow Us

Domingo, 14 Janeiro 2024 22:23

Ala “brasileira” vence à liderança da Igreja Universal em Angola

O Bispo Alberto Segunda,  de ala considerada “brasileira” foi eleito em Assembleia Geral, como o novo Presbítero Geral da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola, com 42 mil e 819 votos validamente expressos pelos fiéis, que depositaram a sua confiança para liderar a organização.

Com esta Assembleia Geral que elegeu um novo líder, a Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, poderá voltar a ser apenas uma, após a realização do evento testemunhado por diversas entidades religiosas do país e entidades governamentais.

O acto eleitoral contou com a fiscalização de membros da sociedade civil, que como observadores da Assembleia, confirmaram a transparência no processo que elegeu o Bispo Alberto Segunda como Presbítero Geral.

De acordo com a organização, a eleição do Bispo Segunda coloca fim a um conflito que durou cerca de quatros anos, sendo que, com a sua escolha pela vontade de milhares de fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus, Alberto Segunda torna-se o representante legal da igreja junto das instituições do Estado angolano.

O número de eleitores levou a alguns questionamentos, uma vez que, de acordo com os dados avançados em Outubro de 2023, a IURD controla mais de 500 mil fiéis. Entretanto, o presidente da Mesa da Assembleia Geral, bispo Paulo Rosa, esclareceu que entre as principais razões consta a falta de documentos de identificação pessoal por parte de muitos fiéis.

“Nas restantes províncias, tivemos situações muito difíceis, porque temos muitos membros, que infelizmente não têm nenhum documento pessoal porque, neste processo, para fazer o seu cadastro nós tínhamos o bilhete de identidade como o principal documento para as pessoas poderem se cadastrar e isso condicionou bastante”, justificou.

O responsável disse ainda que “não significa que nós temos apenas esses membros. Temos muitos membros e as actividades realizadas em Luanda e nas restantes províncias do país, mostram exactamente aquilo que somos”, afirmou Paulo Rosa.

Entre as províncias, Lunda-Norte teve o número mais baixo de eleitores com apenas 144 votos e Malanje com 243 votos enquanto que Luanda e Benguela apresentaram o maior número de eleitores com mais 35 mil e 1611 votos, respectivamente.

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, foi representada por Fernando Mukete, que manifestou a sua satisfação pela participação num evento que elegeu o novo Presbítero Geral da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola e aos demais órgãos sociais da Igreja.

O MPLA reconhece o nível de organização do evento, sublinhando que o novo líder da IURD em Angola pode contar com o partido dos camaradas, fruto do seu papel na moralização da sociedade e na preservação da paz em Angola.

“Os fiéis da IURD depositaram plena confiança no bispo Alberto Segunda, para conduzi-los até a “terra prometida”, e com isto, ele pode contar com MPLA através das políticas de trabalhar com as igrejas”.

Fernando Mukete sublinha o desempenho da IURD na materialização dos projectos sociais e na resolução dos problemas das famílias e no seu papel na moralização da sociedade.

Por sua vez, o novo Presbítero Geral da IURD em Angola, Alberto Segunda, que interinou o cargo durante o período de “desentendimento”, reiterou o compromisso na reconciliação entre os irmãos da mesma fé, que até ao momento se mostram resistentes..

O líder religioso sublinhou que um dos principais desafios do seu mandato será de resgatar mais almas para Cristo e apelou aos mesmos da sua congregação que “a partir de agora só existe uma única IURD”.

Observadores independentes confirmam transparência no processo eleitoral

Pastor Noé Mateus, líder do Centro Casa de Oração, Pastor Hamilton dos Santos em representação da Ordem de Pastores Evangélicos de Angola, António Coelho, Presidente da ANASO e Conselho Provincial da Juventude em Luanda, Alberto Dala “Baduna” e outros órgãos enalteceram a transparência no processo.

Os observadores independentes consideram legítimo o resultado apresentado pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral da Igreja Universal do Reino Deus em Angola, que elegeu o Bispo Alberto Segunda.

Reação de Ala “angolana”

Num comunicado, os dissidentes afirmavam que “a IURD-Angola não convocou nenhuma assembleia-geral e não se vincula à dita assembleia-geral convocada por um dos bispos ligados ao bispo Alberto Segunda, em falsa qualidade, para ludibriar os fiéis e a sociedade, sem que para tal tenha sido mandatado pela direção da Igreja”.

Na resposta, a ala liderada por Alberto Segunda, defendeu que a intervenção do Estado angolano, foi necessária para pôr fim ao clima de incerteza que a igreja Universal vivenciava, devendo ser considerada por todos como símbolo de paz e unidade entre os irmãos da mesma fé.

“A Assembleia Geral Universal não pode ser vista como vitória de uma parte da Igreja, mais sim de todos os filhos da Universal que ontem estavam desavindos e hoje podem congregar em uma só fé”, disseram num comunicado, segundo o qual ficaram para trás “as famosas "alas", os tumultos, os debates as nomenclaturas, e todo o tipo de hostilidade que em nada abona a nossa fé”.

Rate this item
(0 votes)