Sábado, 25 de Mai de 2024
Follow Us

Terça, 05 Março 2024 13:58

Candidato excluído da corrida à liderança do PRS interpõe providência cautelar ao Tribunal Constitucional

O actual secretário nacional da JURS, braço juvenil do Partido de Renovação Social (PRS), Gaspar Fernandes dos Santos, cuja candidatura foi rejeitada pela comissão preparatória, por alegadamente não ter mais de 15 anos de militância partidária, recorreu esta segunda-feira, 4, ao TC com uma providência cautelar, onde pede a anulação de todos actos até aqui feitos pela comissão responsável pela criação de condições para o conclave.

Gaspar Fernandes dos Santos disse que não teve outra saída, senão recorrer ao Tribunal Constitucional, pois disse, internamente “as portas foram fechadas, por isso interpusemos a providência cautelar para anular todos os actos praticados pela comissão preparatória do V Congresso Ordinário”, disse.

A comissão preparatória do V congresso, a candidatura de Gaspar Fernandes dos Santos não foi apurada pelo facto de não ter mais de 15 anos de militância partidária.

“O processo de preparação do V congresso está viciado e cheio de irregularidades. Por isso, recorremos ao Tribunal Constitucional, para suspender a actual comissão”, avançou à imprensa o actual secretário nacional permanente da Juventude do Partido de Renovação Social (JURS), braço juvenil do PRS, desmentindo assi a comissão preparatória do congresso.

A candidatura do antigo deputado pelo Grupo Parlamentar do Partido de Renovação Social (PRS), Sapalo António, e do líder juvenil da formação política, Gaspar Fernandes, foram ambas afastadas da concorrência à eleição do futuro presidente do partido, a ser votada no V Congresso Ordinário, agendado para os dias 2, 3 e 4 de Abril próximo, em Luanda.

Gaspar Fernandes dos Santos, que tenciona disputar o cadeirão máximo do PRS, com o actual líder do partido, acusou Benedito Daniel de estar a defender os interesses de uma minoria e não da colectividade no seio do PRS, pelo que espera que o Tribunal Constitucional dê provimento à providência cautelar.

 “Por isso viemos para que o departamento dos partidos políticos anule esta comissão corrupta que ali está e que está a manchar a imagem do partido, e a maior festa da democracia”, salientou.

Recorda-se que o Partido de Renovação Social (PRS) foi fundado no dia 18 de Novembro de 1990 e primeira eleição em que participou, em 1992, ganhou seis assentos na Assembleia Nacional.

Em 1999, o partido passou por um período de conflito interno, em que quatro deputados foram expulsos.

O Partido de Renovação Social (PRS) conquistou 3,17% dos votos nas eleições de 2008, ganhando oito assentos dos 220 da Assembleia Nacional.

Nas eleições de 2012, a formação que defende o federalismo como matriz governativo viu sua bancada reduzir-se a três cadeiras, e na de 2017 a duas. Nas eleições de 2022 o partido conseguiu dois deputados.

O V Congresso Ordinário será realizado nos dias 2 e 4 de Abril deste ano, em Luanda, e vai reunir cerca de mil delegados vindos das 18 províncias do país.

Rate this item
(0 votes)