Quarta, 24 de Abril de 2024
Follow Us

Segunda, 26 Fevereiro 2024 16:47

Aliança partidária angolana avança para nova plataforma política eleitoral

O PDA-ANA, partido político angolano, lidera uma aliança de três forças políticas para a criação de uma nova plataforma política eleitoral, designada “Bloco de Solução”, revelou hoje fonte ligada ao projeto.

Neste projeto estão unidos o Partido Democrático para o Progresso da Aliança Nacional Angolana (PDP-ANA), o Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA), ambos integrantes da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), e o Movimento de Unidade Nacional (MUN), ainda em processo de legalização.

Segundo o presidente do PDP-ANA, Abreu Capitão, no sábado estas três forças políticas estiveram reunidas para abordar a futura aliança, com o objetivo de se criar uma coligação eleitoral.

“A tendência é fazermos uma coligação forte, jamais vista em Angola, capaz de surpreender os angolanos pela positiva”, disse à Lusa Abreu Capitão.

O político realçou que para este movimento estão a ser chamados além de partidos políticos, a sociedade civil, nomeadamente associações estudantis e igrejas.

“Não queremos encontrar, no futuro, um angolano que trabalhe e não tenha nada a oferecer ao seu filho na mesa, queremos encontrar um angolano que trabalhe, que tenha projetos para o futuro, que tenha alguma coisa para a vida”, disse o líder do PDP-ANA, criticando o atual quadro social do país.

Questionado se, com a criação deste projeto político, se concretiza a saída do PDP-ANA da CASA-CE, Abreu Capitão disse que o partido continua a fazer parte da coligação eleitoral, mas o objetivo é fazer com que as restantes forças políticas que a integram se juntem à futura plataforma política.

A CASA-CE, coligação eleitoral que surgiu na cena política angolana em 2012, era integrada por seis partidos políticos - PDP-ANA, PNSA, Bloco Democrático, PALMA, PADDA-AP e Partido Pacífico Angolano (PPA) -, tendo conseguido oito deputados nas eleições gerais de 2012, número que duplicou em 2017.

Nas últimas eleições de 2022, a coligação, que teve na sua criação a liderança de Abel Chivukuvuku, entretanto destituído pelos seus parceiros, não elegeu qualquer deputado.

“O projeto visa, no futuro, termos pelo menos quatro a cinco partidos fortes, para não irmos para as eleições de forma dividida. Só assim podemos derrubar o partido no poder”, salientou.

Abreu Capitão afirmou que quatro partidos políticos aceitaram aderir ao projeto, sem revelar quais.

“Temos quatro partidos que já aceitaram, cabe aos próprios presidentes saírem à rua para declararem”, frisou.

O PDP-ANA foi fundado em 1991 por Nfulumpinga Nlandu Victor, que faleceu em 2004.

Rate this item
(0 votes)