Sábado, 02 de Março de 2024
Follow Us

Quarta, 14 Dezembro 2022 19:39

UNITA diz que Angola "está sem Governo” e questiona recurso a seguranças para vigiar provas

O líder do grupo parlamentar da UNITA, maior partido da oposição angolana, considerou hoje que “o país está sem Governo”, dando como exemplo a colocação de seguranças e auxiliares de limpeza de escolas para vigiarem provas.

“O país está sem Governo, como é possível mandar seguranças de uma escola, empregados de limpeza, pessoal administrativo, acompanhar provas?”, questionou Liberty Chiaka, que falava em conferência de imprensa para o balanço de visitas de constatação de deputados da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) às 18 províncias do país.

O deputado questionou ainda nessa situação “quem elaborou as provas, quem vai corrigir as provas, quem vai fazer o lançamento das notas, quem vai fazer as pautas e quem estará no conselho de notas?”

“É assim que vamos dizer que temos Governo? Não! Angola não tem Governo”, salientou.

Os professores angolanos cumprem a segunda fase de greve, que se iniciou no dia 06 deste mês e termina na sexta-feira, para a reivindicação de melhorias salariais e de trabalho.

De acordo com o Sindicato Nacional de Professores (Sinprof) angolano, desde a paralisação dos trabalhos não se realizou nenhum encontro com o Ministério da Educação, estando já a ser preparada a realização da terceira fase da greve, que decorrerá entre 03 e 31 de janeiro de 2023.

A segunda fase da greve coincidiu com as provas do primeiro trimestre, tendo o sindicato denunciado que o Ministério da Educação terá alegadamente orientado as escolas a realizarem as provas e que para a sua concretização está a recorrer a seguranças, auxiliares de limpeza, pessoal administrativo e seus familiares.

Rate this item
(0 votes)