Segunda, 06 de Dezembro de 2021
Follow Us

Quinta, 21 Outubro 2021 15:35

Decisão em Acórdão do TC contra UNITA trouxe mais vantagens e fortificou o partido - Analista

 

Director executivo do Instituto Angolano de Sistemas Eleitorais e Democracia (IASED), Luís Jimbo, convidado no espaço Governo de Transição, da Rádio MFM nesta quinta-feira 21, observou que, quando um grupo é ameaçado externamente, tende a solidificar-se, estar mais unido para prevenir e combater a ameaça externa.

Segundo o analista Luís Gimbo, a gestão dos líderes da UNITA foi exaustiva em alinhar a esta estratégia de reacção, visto que as pessoas que mais falam e têm mais espaço nas redes sociais não se referiram esta semana sobre o processo.

Analista Luís Gimbo, considerou que estava previsível acontecer e que não é novidade quanto a esta questão, por se tratar do efeito da dinâmica do grupo, fazer gestão desta abordagem, o que fez com que toda atenção estivesse virada para a I Reunião Extraordinária que teve lugar nesta quarta-feira.

Olhando para a declaração final, Luís Jimbo retirou que a UNITA mostra-se para a sociedade mais forte, naquele conclave, pela posição que tomou e reforça que entre Samakuva e Adalberto há uma cumplicidade um do outro, sem rotura nem que houvesse interesse de fragilidade interna.

Outra questão política que Luís Gimbo apontou, de extrema importância, tem que ver com o facto de de ter agendado, finalmente, a realização de 01 a 04 de Dezembro, do Congresso Extraordinário, na mesma época que o MPLA.

Por sua vez, Afonso Pina, também convidado de painel, após concordar com o fio lógico de Luís Jimbo, disse que em termos de história, depois daqueles actos com mar de gentes que Jonas Savimbi fazia, não conhece neste momento outro facto político ou atenção que mobilize o país como está a ser a UNITA e o seu então destituído líder, Adalberto Costa Júnior.

Disse por outra que, se de facto há uma perseguição sistemática como se está a dizer, isto só está a favorecer a UNITA e fortalecé-la mais.

"Até hoje, só para termos uma noção, a Reunião da comissão política ontem, acabou por ser o foco de toda atenção da política doméstica", conforme Afonso Pina.

Assim, disse que as dúvidas que haviam até então, acabaram por ser sanadas com esta reunião e seu comunicado final que estabelece finalmente que o Congresso terá lugar em Dezembro, embora não tenha clarificado em que moldes vai encontrar outro presidente.

Defendeu igualmente que, a UNITA ganharia tempo, entre os cenários apresentados com uma eventual candidatura única de Adalberto Costa Júnior, sendo formalizada à liderança do partido, por uma questão formal, pois, na verdade, o acto electivo como foi aquele que aconteceu e que deu lugar à eleição do Congresso em que a UNITA ganha bom exemplo de ter tido cinco candidatos à corrida do seu cadeirão máximo.

Ora, observou, tendo sido imposto por este acórdão do Tribunal Constitucional, o cenário mudou, sendo que a narrativa dos dirigentes da UNITA e do próprio presidente Samakuva alega de que uma única candidatura seria um recuo para a democracia interna do partido, penso que a estratégia impõe que, se há uma mudança do contexto é fundamental que se mude a estratégia.

Ainda assim, disse que a UNITA é claramente livre e soberana para tomar as decisões que achar melhor, tendo acrescentado que o partido agora, e pela dimensão que tem, de ser o maior partido da oposição e consequentemente pela história que tem no país, acaba por ser um património nacional.

 

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up