Quarta, 20 de Outubro de 2021
Follow Us

Terça, 12 Outubro 2021 10:13

Analista político considera discurso do general Furtado órfão de coerência e diz que quem causa insegurança é o MPLA

O analista político, Sebem Freitas, disse ter assistido atentamente o discurso nas comemorações de mais um aniversário das FAA, em cujo acto o General Furtado fez uma denúncia de que certos partidos políticos estarão a criar "Clima de Insegurança".

Em exclusivo para Angola24Horas, o também docente disse que, esperava pelo menos que, o Ministro do Estado e Chefe da Casa de Segurança do PR falasse de forma clara e apontasse os partidos que estarão a criar esse clima.

"Há um ditado na minha língua materna que diz o seguinte: "Etu tukasi kesinha liuti, Etu tuyevela okukua kuolonjila". Em português "Nós que estamos por baixo da árvore é que ouvimos o grito dos pássaros". O senhor Furtado, no meu fraco entender, está querer apontar o dedo ao vosso "fantasma" UNITA que está a vos tirar o sono. Vocês não estão e pelos vistos nunca estiveram preparados para o jogo político baseado em princípios democráticos. Esse seu discurso é órfão de coerência e factos", disse.

Para Freitas, o que causa insegurança é quando num País rico em recursos naturais as crianças morrem nos hospitais por falta de medicamentos e material gastável, e, quando um cidadão ao exigir os seus direitos é abordado por um Agente da Polícia fortemente armado, mesmo em tempo de paz.

Disse ainda que, o que causa insegurança é quando a Comissão Multissetorial de combate à Covid 19, não detalha a proveniência do dinheiro que está gastar na compra das vacinas e sobretudo, quando fabrica números de Covid para continuar a extorquir o Estado e obrigar as pessoas a serem vacinadas com as vacinas de origem duvidosa.

O facto de o PR afirmar "de boca cheia" que em Angola não há fome, quando milhares de famílias morrem diariamente por falta de alimento e por isso mesmo muitas estão abandonar as suas terras de origem à procura de melhores condições de vida, é por Sebem outra causa.

"O que causa insegurança é o General Furtado, com nacionalidade angolana duvidosa dirigir a Casa de Segurança do Presidente com nacionalidade angolana "também" duvidosa", considera.

O Tribunal Constitucional, ao anular o Congresso da UNITA pelo facto de um dos concorrentes ter, na altura, dupla nacionalidade, quando a titular do mesmo Tribunal (Constitucional) ter dupla nacionalidade, sendo uma delas a Portuguesa, observa também que causa insegurança no país.

O que causa insegurança, continuou, é o elevado índice de delinquência juvenil causada pela má gestão da coisa pública e a subida das propinas nas Universidades, quando o salário mínimo nacional continua estática teimosamente.

Apontou igualmente para a alteração da Constituição da República em época eleitoral para alegadamente legitimar a máfia no poder de forma perpétua, como outra causa de insegurança, além da subida dos preços dos produtos da Cesta básica nos mercados sem qualquer tipo de controlo.

Defendeu ainda que, o que causa insegurança no país é o monopólio na importação dos bens de primeira necessidade, bem como a captura dos Órgãos de Comunicação Social público para denegrir a imagem dos Partidos na oposição.

Ilustre, apelou, estude mais a evolução dos tempos, para saber que tudo tem limite, numa altura em que a história da humanidade revela que os grandes impérios também caiem, o que não será diferente para o MPLA. "Nem os Partidos na Oposição, nem a sociedade civil vão cair nesse vosso (seu) jogo sujo. É o seu elenco que está a criar climas de insegurança".

"Vocês vão sair, cedo ou tarde, vocês só mandam nessas igrejinhas, mas não mandam lá no Céu. O criador do céu e a terra vai atender o clamor do seu povo, tal como o fez com o Povo Hebreu sob cativeiro do Rei Faraó. Portanto, Deus dirá "chega"! Poupe os seus discursos!
Aqui só tem um Partido que está a criar insegurança e este Partido tem nome, chama-se MPLA. Nós estamos atentos. Estamos acompanhar os vossos anzóis quando vocês pescam na água turva. Não haverá peixe! Em 2022 vocês vão gostar. Não me provoquem, Estou doente!", finalizou.

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up