Quinta, 26 de Janeiro de 2023
Follow Us

Segunda, 24 Mai 2021 12:54

Militante do MPLA questiona silêncio do seu partido e sai em defesa de JES

O quadro político do MPLA, Manuel da Rocha, disse esta segunda-feira 24 de Maio que há uma hipocrisia dentro das estruturas superiores do partido e que é visível um medo em defender aquele que liderou os destinos do partido em momentos difíceis e conturbados da história de Angola.

Segundo o Manuel da Rocha, no MPLA ninguém terá o curriculum de José Eduardo dos Santos, pois o ex-presidente angolano faz parte dos grandes políticos da história da humanidade moderna e contemporânea.

"Quo vadis meu MPLA...

Alguém abandona a UNITA e vem com acusações levianas gravíssimas atacando o Presidente Emérito do partido dizendo que JES agora manda na UNITA e ninguém diz nada?", questionou.

Para este, trata-se de acusações gravíssimas para que o presidente, vice-presidente, secretário geral e secretário para informação do partido no poder não se venham pronunciar face a tremenda e gritante acusação.

"Será que impera o medo?

Será que gostaram das acusações?

Será que aquele palhaço da UNITA lhe foi orientado para minar a défice coesão que estamos a atravessar?", conforme o membro do MPLA.

Na ocasião, referiu ainda que JES é um ícone da política angolana e em particular do MPLA e já mais vai aparecer alguém que o supere, sendo a maior biblioteca viva e com grande estridente político em Angola.

"Co-fundador do viveiro do MPLA, a JMPLA. JES foi o primeiro angolano a discursar na OUA e na ONU na Angola independente", enalteceu.

Sob liderança de JES, recorda, Angola formou milhares de angolanos de todas as classes em Cuba, Romênia, Bulgária, Checoslováquia, Jugoslávia,Hungria, Polónia,RDA, Índia, Argélia,Venezuela,URSSS etc.

Disse igualmente respeitar o legado de todos os líderes e cerra fileiras em torno do actual líder sem desprimor do passado.

No entanto, manifesta profunda tristeza ao ver os seus dirigentes do Bureau Político e Comitê Central, todos calados até parece que estão com medo, sem se pronunciar quando atacam aquele que cerravam fileiras em seu torno.

Eu Manuel da Rocha "Rochinha" de Malanje, sublinha, nunca serei ingrato com qualquer dirigente meu de qualquer estrutura e sobretudo aquele que me liderou ao alto nível.

"Quo vadis meu Glorioso!

O que está a passar?

Tenho muito para escrever e se quiserem me colocarem na lista negra que dizem já fazer parte que coloquem e reafirmo que não sou falso nem hipócrita.

Nga zuela ba.

Tchau", finalizou.

Rate this item
(1 Vote)