Segunda, 25 de Janeiro de 2021
Follow Us

Segunda, 11 Janeiro 2021 18:07

Auxiliares de limpeza buscam vagas na função pública

As inscrições para o concurso público de admissão de sete mil e 500 auxiliares de limpeza no sector da Educação iniciaram, nesta segunda-feira, em todo o país, com vários candidatos em busca de vagas para o acesso na função pública.

Trata-se do primeiro concurso público para o ingresso de auxiliares de limpeza no MED, que restringe as candidaturas aos cidadãos dos 18 aos 35 anos de idade.

Os candidatos, que devem apresentar certificados de habilitações literárias da 6ª classe em diante, têm 20 dias úteis para a concretização das inscrições.

A província de Luanda, com 699, é a que mais vagas tem, seguida de Benguela, Bié, Huambo e Huíla, com 650 cada, Lunda Norte, Lunda Sul, Cuanza Norte, Moxico e Zaire, com 400.

Cabinda, Cuanza Sul, Malanje e Uíge dispõem de 300 vagas, 270 o Cunene e Namibe, 261 o Cuando Cubango e 200 o Bengo.

Segundo a directora dos Recursos Humanos do Ministério da Educação, Laudimira Sousa, este processo conta com a parceria dos Governos provinciais, aos quais recai, em parte, toda a responsabilidade no êxito do processo.

“Temos sete mil e 500 vagas, distribuídas pelas 18 províncias, em proporção ao número de escolas que cada província tem”, expressou à Rádio Nacional de Angola.

Entretanto, no município do Kilamba Kiaxi alguns cidadãos alegaram que o arranque do concurso público não se efectivou hoje, e dizem desconhecer os motivos do atraso.

Alguns munícipes mostraram-se agastados com a situação, visto que muitos chegaram ao local às quatro horas e até às 12h00 “nada aconteceu”.

A esse respeito, a directora dos Recursos Humanos do Ministério da Educação, Laudimira Sousa,

afirmou que está tudo acautelado para evitar aglomerações no acto de inscrição de candidatos.

“Nós temos uma cota, dividida por municípios, e cada município vai dividir as inscrições por escolas. Poderão também fazer inscrições por outras vias que cada província vai disponibilizar”, explicou .

Por sua vez, o presidente da Associação dos Professores de Angola (APA), Inácio Gonga, considerou louvável a iniciativa do Ministério da Educação, sublinhando que há mais de 10 anos não realiza concurso para admissão de auxiliares de limpeza.

“Vem, na verdade, preencher um vazio que há muito se fazia sentir. Há mais de 10 anos que não se realizava concursos públicos de admissão deste pessoal tão essencial para o bom funcionamento das escolas”, expressou o responsável.

Do seu ponto de vista, o ingresso de mais pessoal na área de limpeza vai ajudar a melhorar as condições de ensino nas escolas públicas do país.

“Precisamos, também, de olhar para o pessoal de segurança, para que, na verdade, se garanta a protecção requerida para instituições escolares”, comentou.

Trata-se do primeiro concurso público para o ingresso de auxiliares de limpeza no MED, que restringe as candidaturas aos cidadãos dos 18 aos 35 anos de idade.

Os candidatos, que devem apresentar certificados de habilitações literárias da 6ª classe em diante, têm 20 dias úteis para a concretização das inscrições.

A província de Luanda, com 699, é a que mais vagas tem, seguida de Benguela, Bié, Huambo e Huíla, com 650 cada, Lunda Norte, Lunda Sul, Cuanza Norte, Moxico e Zaire, com 400.

Cabinda, Cuanza Sul, Malanje e Uíge dispõem de 300 vagas, 270 o Cunene e Namibe, 261 o Cuando Cubango e 200 o Bengo.

Segundo a directora dos Recursos Humanos do Ministério da Educação, Laudimira Sousa, este processo conta com a parceria dos Governos provinciais, aos quais recai, em parte, toda a responsabilidade no êxito do processo.

“Temos sete mil e 500 vagas, distribuídas pelas 18 províncias, em proporção ao número de escolas que cada província tem”, expressou à Rádio Nacional de Angola.

Entretanto, no município do Kilamba Kiaxi alguns cidadãos alegaram que o arranque do concurso público não se efectivou hoje, e dizem desconhecer os motivos do atraso.

Alguns munícipes mostraram-se agastados com a situação, visto que muitos chegaram ao local às quatro horas e até às 12h00 “nada aconteceu”.

A esse respeito, a directora dos Recursos Humanos do Ministério da Educação, Laudimira Sousa,

afirmou que está tudo acautelado para evitar aglomerações no acto de inscrição de candidatos.

“Nós temos uma cota, dividida por municípios, e cada município vai dividir as inscrições por escolas. Poderão também fazer inscrições por outras vias que cada província vai disponibilizar”, explicou .

Por sua vez, o presidente da Associação dos Professores de Angola (APA), Inácio Gonga, considerou louvável a iniciativa do Ministério da Educação, sublinhando que há mais de 10 anos não realiza concurso para admissão de auxiliares de limpeza.

“Vem, na verdade, preencher um vazio que há muito se fazia sentir. Há mais de 10 anos que não se realizava concursos públicos de admissão deste pessoal tão essencial para o bom funcionamento das escolas”, expressou o responsável.

Do seu ponto de vista, o ingresso de mais pessoal na área de limpeza vai ajudar a melhorar as condições de ensino nas escolas públicas do país.

“Precisamos, também, de olhar para o pessoal de segurança, para que, na verdade, se garanta a protecção requerida para instituições escolares”, comentou.

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up