Segunda, 15 de Abril de 2024
Follow Us

Quinta, 07 Setembro 2023 13:30

João Lourenço considera "muito grave" caso de alegada corrupção desportiva

O Presidente da República, João Lourenço, pronunciou-se, esta quinta-feira, sobre o caso de alegada corrupção desportiva e considerou que se criou "uma situação muito grave".

Falando à imprensa, no quadro da sua visita oficial à província de Malanje, respondeu a um questionamento sobre a sanção da FAF ao Petro de Luanda, Académica do Lobito, Kabuscorp do Palanca e 1.º de Agosto.

O Chefe de Estado considera que deve haver bom senso, mas se haver efectivamente a necessidade de castigar algum prevaricador, que isso seja feito, sem nunca pôr em jogo a continuidade do campeonato e muito menos que não mate o futebol angolano.

Considerou a situação de muito grave a ter em conta o facto de que o futebol a nível mundial é um desporto das multidões, não sendo diferente em Angola, onde é um desporto nacional.

João Lourenço afirmou que a situação criada ameaça, não apenas o Campeonato Nacional, mas ameaça o próprio futebol angolano.

“Não posso ir mais ao detalhe porque creio que a Federação Angolana de futebol e as associações provinciais me estão a ouvir e saberão fazer melhor do que eu, no sentido de salvaguardar apenas duas questões: Não comprometer o campeonato e não matar o futebol angolano”, frisou.

O assunto iniciou em Junho último quando vazou um áudio nas redes sociais em que o treinador Agostinho Tramagal revela pormenores sobre a vitória da Académica do Lobito ante o 1.° de Agosto, por 1-0.

No som, ouve-se o técnico dizer que recebeu três milhões de kwanzas do Petro de Luanda para vencer o jogo contra o D´Agosto. Acontecendo isso, os "tricolores" ascenderiam para a primeira posição do Girabola 2022-23.

Agostinho Tramagal relata que terá ficado com um milhão e dividido dois milhões para os jogadores em razão de 100 mil kwanzas cada.

Refere ter negado uma oferta do 1.º de Agosto de sete milhões de kwanzas para deixar-se perder e que tudo fez para permitir que o Kabuscorp do Palanca vencesse o jogo da meia-final da Taça de Angola, o que não veio acontecer.

Na sequência, o clube1.° de Agosto é punido com multa de um valor correspondente a 2.000 UCF (1 UCF equivale a 88 kwanzas), treinador Agostinho "Tramagal" é suspenso por quatro anos e uma multa em valor correspondente a 6.000 UCF.

O Kabuscorp do Palanca baixa de divisão, enquanto o seu presidente, Bento Kangamba, foi punido por quatro anos.

A Académica Petróleos Clube do Lobito foi sancionada com baixa de divisão por corrupção no jogo n.° 22/2023 da Taça de Angola e multa em valor correspondente a 80.000 UCF.

Rate this item
(1 Vote)