Sexta, 10 de Julho de 2020
Follow Us

Sexta, 29 Mai 2020 13:09

Governo dá trégua aos moradores das centralidades “agora podem pagar em 30 anos”

Os cidadãos que assinaram contratos com o extinto Fundo de Activos para o Desenvolvimento Habitacional (FADEH), SONIP e Kora podem solicitar ao Fundo de Fomento Habitacional (FFH), por escrito, a alteração das clausulas do contrato a solicitarem o pagamento num período até 30 anos.

No momento dos contratos os inclinos do Estado tinham apenas 20 anos. De acordo com um comunicado de imprensa do Ministério das Finanças, divulgado esta segunda-feira, 25 de Maio, o Fundo de Fomento Habitacional uniformizou o período de pagamento das prestações dos beneficiários das centralidades habitacionais de todo o país, ao abrigo dos respectivos contratos de compra e venda com propriedade resolúvel.

Com esta medida, as prestações vão ser reduzidas e a taxa de esforço ajustada às actuais condições sociais e económicas do país, facilitando deste modo todos os beneficiários com contrato promessa de compra e venda, na modalidade de propriedade resolúvel.

No comunicado de imprensa, o Fundo de Fomento Habitacional manifesta a abertura para o diálogo com os beneficiários que registem atrasos no pagamento das suas prestações por se encontrem em dificuldades.

Líderes juvenis exigem de João Lourenço cumprimento das promessas habitacionais

Várias organizações juvenis entregaram esta quarta-feira, 20 uma carta ao Gabinete do Presidente da República, João Lourenço a exigirem o cumprimento das promessas habitacionais que reafirmou ainda no final do ano passado.

A referida carta tem como assunto, a morosidade no cumprimento da promessa de facilitação do acesso a habitação aos líderes Juvenis, políticos e associativos na Urbanização Vida Pacifica.

Tendo em conta a promessa feita pelo PR, no dia 30 de abril de 2019 durante reunião realizada com as lideranças de organizações Juvenis partidárias e da sociedade civil, no sentido de facilitar o acesso da Juventude a habitação no projecto habitacional designado “Urbanização Vida Pacifica” na sequência da inquietação levantada pelos jovens presentes no encontro.

Segundo os assinantes decorridos um ano e mês, a orientação dada pelo Presidente João Lourenço à antiga ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, não foi concretizada.

Entre os assinantes estão os líderes do Movimento dos Estudantes de Angola, da Juventude do PRS, JFNLA, activistas e a Juventude da CASA-CE.

Criado em 2009, o Fundo de Fomento Habitacional é uma instituição pública tutelada pelos ministérios das Finanças e das Obras Públicas e Ordenamento do Território, cuja missão é o fomento do parque habitacional do Estado. O Decreto

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up