Quinta, 02 de Julho de 2020
Follow Us

Quinta, 05 Março 2020 21:14

Subida de preços reúne BNA e grandes importadores

O governador do Banco Nacional de Angola, José Lima Massano, reuniu nesta quinta-feira, em Luanda, com os grandes importadores de bens alimentares que operam no país, para perceber o que está na base da evolução do preço grossista dos produtos da cesta básica, que em Janeiro e Fevereiro terão registado uma variação acumulada de aproximadamente 5%.

Dados preliminares do BNA sobre o comportamento dos preços dos produtos da cesta básica recolhidos no mercado formal e informal, indicam que no meses de Janeiro e Fevereiro deste ano, para alguns produtos observou-se baixa de preços, mas para outros observou-se aumento.

A continuar com este ritmo, do preço grossista, o BNA receia que até o final do ano, a variação acumulada dos preços dos produtos da cesta básica possa chegar aos 30%.

Os produtos analisados que tem grande peço no Índice do Preço do Consumidor (IPC) estão a empolgar a taxa de inflação para cima, segundo o BNA.

Para o Banco Central, a variação verificada, em Janeiro e Fevereiro deste ano, não se justifica, tendo em conta o comportamento de preços no mercado internacional e estabilidade verificada a nível da taxa de câmbio .

A despesa média que as famílias gastaram no ano de 2019 para comprar cada unidade dos produtos da cesta básica, um conjunto de 13 produtos, entre arroz, açúcar, óleo de soja, carne seca, leite em pó, farinha de milho, de trigo e outros, passou de 15 mil kwanzas em Janeiro a 20 mil kwanzas em Dezembro esse ano..

De acordo com o governador do Banco Central, José Lima Massano, que orientou o encontro com os grandes importadores, qualquer variação dos preços dos bens alimentares tem um efeito “imediato” sobre a estabilidade dos preços na economia.

Para o ano de 2020, em se busca por uma maior estabilidade cambial, o BNA quer evitar um cenário de subida acentuada de preços da cesta básica

O governador lembrou aos grandes importadores que, a subida dos preços dos bens alimentares, fundamentalmente, exerce grande influência sobre a inflação, podendo levar a subidas indesejáveis a nível da taxa de câmbio e juros, o que causa instabilidade na economia.

“Temos muita dificuldades de compreender o porquê que todos os meses os preços têm de subir, apesar de alguns casos ser muito ligeiro, sobretudo neste momento em que os preços são estáveis no mercado internacional”, questionou José Massano.

Estando já no mês de Março, o BNA quer compreender para que eventuais ajustamento de política monetária possam ser introduzidas, visando a estabilidade de preços na economia

Evolução dos preços

Dados do Departamento de Estatística do BNA apresentados neste encontro, apontam que o conjunto de vários produtos da cesta básica, de Janeiro a Dezembro de 2019, tiveram uma variação acumulada de preços entre os 30% , 20% e outros abaixo esta última percentagem.

Em Janeiro de 2019, o preço do açúcar estava ao preço de 300 kwanzas o quilograma e até Dezembro passou para 410 kwanzas.

Dos 13 produtos da cesta básica, o açúcar em granel teve a maior variação acumulada na ordem dos 36,6%.

O feijão vem a seguir com uma variação de 34% (de 700 kz para acima dos 800 kz), seguido do leite em pó (lata de 2,700 kg), que teve uma variação constante do preço na ordem dos 2% mensalmente, tendo uma variação acumulada de 38%, até o final do ano passado.

O óleo de soja teve uma variação acumulada de 31% e completa o leque dos produtos com variações com 30%, a farinha de trigo.

A lista dos bens alimentares que tiveram preços acumulados abaixo dos 30% destaca-se a carne seca, farinha de milho e outros abaixo de 20%, como a massa alimentar e o sabão azul.

A fuba de bombo foi o único produto da cesta básica que teve a menor variação, pelo facto de ser um bem que produzido localmente.

Importadores justificam

Em resposta Alguns importadores que intervieram no encontro apontaram demoras nas respostas das cartas de crédito, que chegam aos 30 dias, as licenças de importação, os encargos fiscais, os 2% de pagamento aos serviços aduaneiros e outras questões que acabam por tornar os preços altos até ao consumidor final.

No final, o BNA mostrou-se disponível a ajudar na interação com as autoridades governamentais e instituições financeiras. assim como recomendou a maior interação com produtores nacionais para que se incremente a oferta de bens de produção nacional protegendo-se as reservas internacionais, estimulando-se o crescimento da economia, o emprego e o bem estar social.

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up