Terça, 16 de Abril de 2024
Follow Us

Sexta, 03 Fevereiro 2023 20:42

Governo Provincial de Luanda "não autoriza" marcha do PRA-JA Servir Angola

O PRA-JA Servir Angola anunciou hoje que o governo provincial de Luanda não autorizou a realização da marcha prevista para este sábado. Segundo o projeto político de Chivukuvuku, a razão evocada está "desajustada".

O governo provincial de Luanda não autorizou a marcha do PRA-JA Servir Angola prevista para este sábado (04.02), na capital de Angola, revelou à DW o movimento da oposição angolana.

"Recebemos uma nota dando conta que [a marcha] não pode ser realizada ao abrigo de uma lei que só se ajusta com a lei constitucional de 1991. Ora, a lei constitucional de 1991 foi revogada ao ser publicada a Constituição da República em 2010", explicou à DW Xavier Jaime, co-organizador do evento.

Segundo o coordenador adjunto do PRA-JA Servir Angola, o movimento vai acatar a ordem das autoridades, mesmo sendo "desajustada e ilegal".

"Nunca desafiaremos as autoridades, porque não somos arruaceiros", disse.

O projeto político de Abel Chivukuvuku está apenas autorizado a realizar uma palestra prevista também para este sábado sobre a importância da realização de eleições autárquicas, cujo lema é "Discutir o problema das autarquias com o cidadão comum".

"Naturalmente, vamos aproveitar a oportunidade que a palestra nos oferecer para dizer que os camaradas [do Movimento Popular de Libertação de Angola, MPLA] continuam atrasados, porque a lei constitucional de 1991 já deixou de existir há muito."

Palestra sobre autarquias

Xavier Jaime diz que a palestra servirá também para convocar os cidadãos a ser mais vigilantes.

"Vamos dizer aos nossos militantes o que é que é isso das autarquias, qual é a sua importância, e a partir daí encontraremos certamente outros mecanismos", acrescentou.

Em 28 de janeiro, a polícia angolana reprimiu com recurso a gás lacrimogéneo a manifestação dos militantes e simpatizantes do PRA-JA. 17 manifestantes ficaram feridos.

A marcha visava o lançamento do ano político da organização. O coordenador geral do PRA-JA, Abel Chivukuvuku, e os seus apoiantes tentavam iniciar uma marcha, que terminaria com uma palestra do líder sobre as autarquias, quando surgiu a polícia para impedir o ato.

A organização denunciou ainda que granadas de gás lacrimogéneo foram lançadas em direção a Chivukuvuku, "que escapou por um triz à ação violenta, repressiva e criminosa dos agentes da Polícia Nacional."

DW Africa

Rate this item
(0 votes)