Quarta, 23 de Junho de 2021
Follow Us

Quarta, 05 Mai 2021 10:38

Igreja Tocoísta esclarece decisão do Tribunal Supremo

A ala do bispo Dom Afonso Nunes, descrito por milhares de fiéis como sendo o detentor do corpo habitado pelo espírito de Simão Gonçalves Toco, a das 18 Classes e 16 tribos e a dos Anciãos e Conselheiros da Direcção Central está proibida de fazer uso da denominação e dos símbolos da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo “Os Tocoístas”, por ordem do Tribunal Supremo, tal como noticiou, em primeira-mão, o jornal OPAÍS

Por conta desta informação, o Episcopado da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo “Os Tocoístas”, liderada por Sua Santidade Dom Mayamona, comunica e orienta os órgãos e estruturas intermédias e de base, o seguinte:

1. No âmbito do processo judicial instaurado por um grupo de irmãos que se opuseram ao Despacho n.º 396/15, de 16 de Novembro do Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, a Igreja tomou conhecimento do Acórdão proferido pelo Plenário do Tribunal Supremo, que confirma a decisão antes ditada pela 3.ª Secção da Câmara do Cível, Administrativo, Fiscal e Aduaneiro do mesmo Tribunal, que declarou nulo o referido Despacho n.º 396/15, de 16 de Novembro, ou seja, no entendimento daquele Tribunal, a Igreja deve retornar à situação jurídica de 1992, em que erradamente se reconhecia a Igreja alheia de Deus, em 3 (três) partes;

2. Entretanto, por não se conformar com o sentido decisório do mencionado Acórdão, a Igreja, dentro do prazo legal, já interpôs o competente recurso extraordinário de inconstitucionalidade, a ser apreciado pelo Tribunal Constitucional;

3. Esclarece-se que, para todos os efeitos legais, com o recurso interposto pela Igreja, o Despacho n.º 396/15, de 16 de Novembro do Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos mantém-se em vigor, porque, válido e eficaz, porquanto, o aludido Acórdão, por não ter transitado em julgado, não produz quaisquer efeitos;

4. Acresce-se que, contrariamente a uma errónea interpretação do Acórdão em questão, veiculada por um certo grupo de pessoas que se auto-intitulam por “12 Velhos”, não é verdade que a decisão do Tribunal legitima aquela congregação como sendo a Direcção da Igreja, muito menos proíbe o Líder desta Igreja e os Tocoístas de continuarem a usar os símbolos da Igreja;

5. Quer queiram, quer não, o Tocoísmo é e será sempre apenas um, e a sede administrativa, eclesiástica universal desta Igreja estará sempre situada na Catedral Tocoísta – Templo do Deus Vivo, na Avenida Pedro de Castro Van – Dúnem Loy, no Golfe, para além da sede espiritual universal, em Sadi, Zulumongo, Ntaya, Maquela do Zombo – A Cidade Santa do Grande Rei;

6. Deste modo, todas as circunscrições eclesiais do universo Tocoísta são orientadas a não cederem a insultos nem a provocações promovidos por aqueles que insistem se rebelando contra a Igreja de Cristo – Êxodo 14:14;

7. Os rumores segundo os quais, os ditos 12 velhos e que ascendem o título que tanto ostentam “12 Mais Velhos”, e querem designar por Direcção Central, alegando que irão tomar a Sede da Igreja e de todo o património, desde já, adverte-se que não será concretizado, porque Angola é um País que reconhecemos ter um Governo competente, capaz e sábio, o qual não permitirá que insurgentes criem pânico e desordem social.

8. A Igreja de Cristo continuará com a sua marcha triunfante, rumo a Cidade Santa da Nova Jerusalém e os verdadeiros Tocoístas cerrarão sempre fileiras em torno do seu Líder Espiritual, Sua Santidade Pai Mayamona, nosso venerável e eterno Dirigente.

Por Uma Igreja Una, Única e
Indivisível
Ordem, Firmeza e Fé!
A BEM DA IGREJA
O EPISCOPADO

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up