Domingo, 05 de Fevereiro de 2023
Follow Us

Quarta, 07 Dezembro 2022 20:09

Presidente do Peru é destituído e preso após tentar dissolver Congresso

O presidente do Peru, Pedro Castillo, foi detido pela polícia após anunciar a dissolução temporária do Congresso e a convocação de novas eleições parlamentares. Ele permanece sob custódia das autoridades na sede da Prefeitura de Lima.

O Procurador-Geral do Estado, Daniel Soria, apresentou uma denúncia criminal contra Castillo pela "suposta prática dos delitos de sedição, abuso de autoridade e grave perturbação da tranquilidade pública".

Em um vídeo publicado nas redes sociais, Castillo, que é esquerda, acusa o Congresso de usar de poderes para impedi-lo de governar. O anúncio ocorreu horas antes dele enfrentar uma nova tentativa de impeachment por parlamentares da oposição em 16 meses.

O parlamento votaria hoje o terceiro processo de impeachment contra Castillo por "incapacidade moral", uma manobra que já derrubou dois ex-presidentes desde 2018: Martín Vizcarra e Pedro Pablo Kuczynski. Ao menos 87 dos 130 deputados peruanos precisariam apoiar a moção para tirar Castillo da presidência.

Com o anúncio de Castillo, ao menos quatro ministros do Peru renunciaram aos cargos, como Alejandro Salas (Cultura e Trabalho), Félix Chero (Direitos Humanos), Kurt Borneo (Economia e Finanças) e César Landa (Relações Exteriores).

Castillo assumiu o poder em julho do ano passado ao derrotar a candidata de extrema direita Keiko Fujimori, filha do ex-ditador Alberto Fujimori. Desde então, por várias vezes, foi alvo de moções e investigações parlamentares que tentavam retirá-lo do poder, mas o político conseguia reverter as medidas durante as votações em plenário. O anúncio do presidente peruano ocorre pouco mais de 30 anos após o autogolpe do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000), que dissolveu o Congresso em 5 de abril de 1992.

"O Congresso destruiu o estado de direito, a democracia, a separação dos poderes, modificando a Constituição com leis ordinárias com objetivo de destruir o Executivo e instaurar uma ditadura parlamentar", argumentou.

"Os adversários políticos mais extremos se unem para fazer o governo fracassar para tomar o poder sem terem ganhado as eleições. Essa situação intolerável não pode continuar", continuou o presidente.

Tomamos a decisão [...] de dissolver temporariamente o Congresso da República e instaurar um governo de emergência excepcional Pedro Castillo, presidente do Peru

Peruanos protestam

Peruanos contra e a favor do governo protestam em frente à sede do Congresso, na capital Lima. Transmissão ao vivo agência de notícias Reuters da fachada do Palácio Legislativo mostram manifestantes cantando e portando bandeiras, cercados por policiais armados com escudos.

Outro grupo de manifestantes também protesta contra Castillo em frente à prefeitura de Lima, onde autoridades se reúnem para enfrentar a crise.

EUA exigem reversão de ato

A Embaixada dos Estados Unidos no Peru rechaçou hoje "categoricamente todo e qualquer ato inconstitucional" do presidente Pedro Castillo.

"Os Estados Unidos instam fortemente o presidente Castillo a reverter sua tentativa de fechar o Congresso e permita as instituições democráticas funcionarem, de acordo com a Constituição", diz trecho de comunicado. Uol Noticias

Rate this item
(0 votes)