Terça, 14 de Julho de 2020
Follow Us

Sexta, 29 Mai 2020 19:11

Covid-19: Angola regista quatro novos casos e totaliza 81 infetados

Um bebé de um mês, do sexo masculino, faz parte dos quatro novos casos positivos da covid-19 registados no país, nas últimas 24 horas, anunciou hoje, sexta-feira, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

Trata-se de três cidadãos masculinos (angolano e russo), com as idades de um mês a 67 anos, e uma cidadã angolana de 22 anos.

A estatística geral aponta 81 casos positivos, com quatro óbitos, 18 recuperados e 59 activos, com um paciente que carece de cuidados especiais. Entre os infectados constam duas crianças de um e dois meses, respectivamente.

Os angolanos, incluindo o bebé, vivem no município do Cazenga, em Luanda, enquanto o cidadão russo, funcionário de uma empresa petrolífera em Angola e proveniente da sua terra natal, estava na quarentena institucional.

De acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública, que falava no encontro diário de actualização de dados sobre a covid-19 no país, o laboratório já processou acima de 10 mil amostras.

Futungo volta à normalidade

Após 27 dias de cerca sanitária, motivada pelo “caso 26”, de contágio local da covid-19, o Distrito Urbano do Futungo de Belas, no município de Talatona, voltou hoje (sexta-feira) à vida normal, com o levantamento do confinamento obrigatório, para a alegria dos moradores.

Imposta pelas autoridades angolanas para impedir a progressão do novo coronavírus, o cordão sanitário privou os moradores de algumas liberdades, conforme os termos do Decreto Presidencial sobre o Estado de Emergência que o país observou durante 60 dias.

Em entrevista à Angop, a munícipe Florinda António referiu que durante o isolamento, houve muitas dificuldades na aquisição de bens de primeira necessidade, pelo que se mostra aliviada por ter testado negativo a doença, no âmbito da recolha de amostra de munícipes suspeitos.

“Por este facto, apelo os vizinhos a continuarem a apostar nos meios de segurança para reduzir, quiçá combater, os casos da pandemia nesta zona de Luanda”, aconselhou.

Já Paulino Tchimbula considerou que foram 27 dias difíceis, mas que sai aliviado por saber que ninguém da sua família testou positivo. Pois, acredita que com o levantamento desta cerca levará uma vida mais tranquila, respeitando sempre as medidas de segurança sanitária.

O mesmo é residente há mais de 20 anos, na zona das “Casas Brancas” (Futungo) e disse haver dificuldades na distribuição de água potável nesta zona, o que vem dificultando a vida dos moradores no que diz respeito à higienização.

Por sua vez, a moradora Lúcia Martins recordou alegadas discriminações de que foram alvos, durante a cerca sanitária, pelo que pediu maior divulgação das autoridades sobre a doença, causas, riscos de contágio, medidas de prevenção, consequências e informações conexas.

Para Pedro Manuel, manifestou-se visivelmente satisfeito por receber, à margem da cerimónia, o teste negativo do seu pai que chegou de ser colocado em quarentena institucional. Contudo, o então cidadão suspeito será submetido a outros dois exames de confirmação.

Na ocasião, a directora nacional de Saúde Pública, Helga Freitas, informou que durante este período foram realizados 863 testes, dos quais 17 foram positivos. “Foram 27 dias difíceis, e de muito trabalho para os técnicos e as forças de seguranças, que se vêem agora aliviados”, expressou.

O Distrito Urbano do Futungo de Belas é parte do Município de Talatona, que conta com uma população, estimada em mais de um milhão de habitantes. Torna-se no segundo a ver a cerca levantada, a seguir ao bairro Cassenda, no dia 20 deste mês, após 14 dias de cordão sanitário, motivado pelo mesmo "caso 26".

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up